NOTA! Luso.eu usa cookies e tecnologias similares. Se você não alterar as configurações do navegador, você concorda com isso.

Saiba mais aqui

Compreendi
Previous Next

Isabel Zambujal divulga a língua portuguesa e a literatura infantil em Bruxelas

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Licenciada em Marketing e Publicidade pelo IADE (Instituto de Arte, Design e Empresa), Isabel Zambujal foi copywriter em várias agências, tendo trabalhado durante alguns anos na área da publicidade.

Em 2001, decidiu aliar o gosto pela escrita (que parece ter herdado do pai, o conceituado jornalista e escritor Mário Zambujal) à paixão pelas crianças e pelo universo infantil. O resultado foi a coleção “Saltinhos…”, quatro títulos sobre as cidades de Lisboa, Porto, Madrid e Paris, já com várias edições e traduzidos para inglês, e que desde logo integraram o Plano Nacional de Leitura.

Seguiram-se muitas outras obras, Dia Bom ou Dia Mau?, Oficina do Livro, 2017; Coleção Grandes Pintores, Levoir, 2017; 101 Palavras e 1/2 para Saber Antes de Crescer, Oficina do Livro, 2016; Dias Felizes de Uma Nódoa Teimosa, Oficina do Livro, 2015; Auto do Cruzeiro do Inferno, Clube do Autor, 2011; Coleção Grandes Compositores, Levoir, 2013; O Pai Natal Que Não Comia Queijo, Oficina do Livro, 2009; 101 Coisas e 1/2 Para Fazer Antes de Crescer, Oficina do Livro, 2009; Salpicos 2 e 3 – Mala do Professor, Lidel, 2009-2014; Histórias Escritas na Cara, Oficina do Livro, 2008; A Menina Que Sorria a Dormir, Oficina do Livro, 2007; Coleção Panda, Oficina do Livro, 2006.

Entre 10 e 14 de outubro, realizou encontros com alunos que estudam português nos diferentes ciclos de ensino, desde o pré-escolar ao ensino superior. Esteve na Embaixada de Portugal, na Universidade Livre de Bruxelas, na Escola Europeia, em várias escolas básicas de diferentes comunas, na Livraria Librebook, a contar histórias e também as histórias antes dos livros; a falar do processo de criação; da importância do trabalho dos ilustradores; da receção das suas obras.

Tal como na sua história da “Menina que sorria a dormir”, todos a ouviram de “olhos fechados” de encantamento, pedindo “conta mais, conta mais”, como se a literatura, por si só, fosse capaz de transformar um dia normal num “dia bom”!

Pub

Sofia Santos
Author: Sofia Santos
Pode ler mais sobre este colaborador

Contactar o autor: Sofia Santos  Perfil: Info

Artigos deste Autor:

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
2
3
4
5
6
8
11
13
14
15
18
19
20
21
22
23
24
25

Últimos Tweets

As voltas e reviravoltas da concessão da água em Caminha ... https://t.co/vvzc2nUPTC
Liliana Rodrigues defende a mobilidade diferenciada dos artistas https://t.co/S1Eo48CfeZ
From Vimeo
Acabei de carregar "Estreias da semana nas salas de cinema portuguesas" no #Vimeo: https://t.co/PvY40KMurz
Follow Luso.be - Bélgica on Twitter