Realizou-se em Genebra e noutras cidades da lusofonia ao mesmo tempo, por iniciativa de uma academia de escritores na Suiça Genebra acolheu escritores de vários países, dando-lhes a conhecer vários espaços nobres da cidade, num intercâmbio internacional, promovendo a literatura portuguesa, nos dias 6 e 7 de outubro.

A ideia de organizar um Festival Internacional que fizesse a promoção, divulgação das obras de autores e artistas lusófonos partiu de Augusto Lopes, presidente e fundador da ALALS.

Augusto Lopes é escritor, a morar em Genebra, onde os suíços têm grandes hábitos de leitura, à semelhança dos países nórdicos da Europa, mas ao contrário do que se passa nos países latinos.

Procurando ajudar a alterar esse cenário, a ALALS, através dos seus académicos presentes em vários países lusófonos, contactou diversas associações literárias, para em conjunto, co-organizarem a III edição do Festival Internacional de Literatura e Arte.

Em Genebra este evento teve início no café Literário Pessoa, com a confraternização entre os escritores. Seguiram depois para o Museu Voltaire, onde foi realizada a cerimónia oficial de tomada de posse de novos membros académicos: as escritoras Celeste Cortez, (que veio Portugal), e Blenda Bortoloni, (brasileira, mas a residir na Suiça). Seguiu-se depois uma visita guiada pelo historiador Flávio Borda d’Água ao museu que serviu de residência a Voltaire, entre os anos 1755 e 1760, e onde escreveu o poema dedicado a Portugal- “Poème sur le désastre de Lisbonne”.

Ao fim da tarde os escritores dirigiram-se ao Club Olá Portugal, para o certame literário. O evento foi apresentado por Carla De Sà Morais, em conjunto com Cristina Rodrigues (locutora da Rádio Cité), onde foram apresentados vários livros dos autores, como foi o caso de Lou Carriço, Blenda Bortolini e Mar Soares.

Houve ainda a atuação do cantor Norberto Ferreira, bem conhecido pelas inúmeras atuações na televisão portuguesa e junto das comunidades portuguesas. Foi apresentada a campanha de angariação de livros que a ALALS irá enviar depois para várias bibliotecas em Cabo Verde.

Mariana Mendes deu a conhecer a sua pesquisa histórica sobre o casamento de duas princesas portuguesas aqui na Suiça, no séc XVII_ as princesas de Prangins, onde tiveram um lugar de destaque na Coroa Suiça, nesta data. Celeste Cortez, que veio de Portugal, apresentou o tema “Portugalidade- elementos culturais que nos unem”, com projeção de imagens, obras de autores portugueses, que marcaram cada região de Portugal.

Carla De Sà Morais apresentou um trabalho sobre o poeta Luiz Vaz de Camões – o Príncipe dos poetas, seguindo-se depois encerrado a atuação de dança, de Regianne Steffen, ao ritmo do samba, e á noite houve baile de música com Jorge Lima.

No dia seguinte, por motivos climatéricos houve uma alteração no programa, tendo sido realizada uma visita ao museu Charles Chaplin, em Vevey, onde extão expostas inúmeras de suas memórias, pois aqui viveu com sua mulher Oona O’Neil e seus oito filhos, durante 25 anos, numa residência em estilo neoclássico, contruída nas encostas entre o lago e a montanha.

Á distância de mais de 10 000 km, no Rio de Janeiro, o evento foi organizado pela Vice-Presidente da ALALS no Brasil, Ana Tourinho, juntamente com Dyandreia Portugal (Presidente de Honra da ALALS, jornalista e Diretora do Jornal Sem Fronteiras) com a colaboração de vários membros académicos desta academia e representantes de outras academias literárias do Brasil.

Realizou-se assim um sarau onde os escritores presentes puderam apresentar as suas obras, projetos, “partilhando amor, valores, amizade, sentimentos, conhecimento literário, com microfone aberto e música ao vivo”, conforme referiu ao nosso jornal a escritora Ana Tourinho.

Ainda no Brasil, realizou-se o mesmo evento na cidade de Leopoldina, pela ALLA- Academia Leopoldina de Letras e Artes, no Museu Espaço dos Anjos. Constou do programa um sarau em homenagem ao poeta Miguel Torga, com recitação de poemas, e leitura de alguns trechos em prosa, de suas obras. Houve ainda apresentação de livros, visita a uma exposição e a atuação do grupo musical Antique, ambos alusivos ao poeta Miguel Torga.

Pub

Augusto Lopes
Autor escritor / Jornalista / correspondente
Pode ler mais sobre este colaborador

Contactar o Autor via : Webmaster  Perfil: Info

Artigos deste Autor: