segunda-feira, 26 setembro 2022

OS TEMPOS DAS CIDADES

Set. 19, 2022 Hits:98 Crónicas

Quem vai pagar impostos?

Set. 19, 2022 Hits:87 Opinião

Os robots não devem paga…

Set. 18, 2022 Hits:117 Opinião

Paternalismo

Set. 14, 2022 Hits:82 Crónicas

A BICICLETA DOS ANJOS

Set. 12, 2022 Hits:65 Crónicas

UM CIMBALINO SE FAZ FAVOR

Set. 10, 2022 Hits:336 Crónicas

O aroma do café no ar

Set. 05, 2022 Hits:79 Crónicas

Rota dos Registos Civis

Set. 04, 2022 Hits:219 Opinião

Espanto e Vergonha

Ago. 28, 2022 Hits:129 Opinião

Pedrógão Grande: Leitura do acórdão do processo da reconstrução das casas agendada para hoje





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A leitura do acórdão do processo sobre as alegadas irregularidades na reconstrução de casas em Pedrógão Grande após os incêndios de junho de 2017 está agendada para as 10:00 de hoje, no Palácio da Justiça de Leiria.

Entre os 28 arguidos estão o antigo presidente da Câmara de Pedrógão Grande Valdemar Alves e o ex-vereador deste município Bruno Gomes. Estão pronunciados por 20 crimes de prevaricação de titular de cargo político, 20 crimes de falsificação de documento e 20 crimes de burla qualificada, cinco dos quais na forma tentada, os mesmos do despacho de acusação.

Já aos restantes arguidos estão imputados, de forma diferenciada, crimes de falsas declarações, falsidade informática, falsificação de documento ou burla qualificada (nalguns casos de forma tentada).

O julgamento começou em 26 de outubro de 2020 e teve 26 sessões, segundo informação do Tribunal Judicial de Leiria enviada à agência Lusa.

Em 19 de julho de 2018, a revista Visão noticiou que meio milhão de euros de donativos destinados à reconstrução de casas de primeira habitação terão sido desviados para casas não prioritárias, isto é, de segunda habitação.

No mesmo dia, a então presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Ana Abrunhosa, disse à Lusa que iria “encaminhar esses casos o mais rapidamente possível para o Ministério Público”.

Ainda nessa data, o Ministério Público (MP) anunciou a abertura de um inquérito.

Em 01 de julho de 2019, a Polícia Judiciária divulgou que finalizou a investigação, com 44 arguidos, tendo proposto acusação.

Quatro dias depois, o MP anunciou que deduziu acusação contra 28 arguidos. No despacho, foi ainda determinado o arquivamento ou separação de processos quanto aos restantes 16 arguidos.

Três arguidos – Valdemar Alves, Bruno Gomes e o construtor civil João Paiva – pediram abertura de instrução e, em 06 de março de 2020, uma juíza de instrução criminal decidiu levá-los a julgamento, “atenta a acusação deduzida pelo MP, também por referência a arguidos que não requereram a instrução”.

O incêndio que deflagrou em 17 de junho de 2017 em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, e que alastrou a concelhos vizinhos, provocou 66 mortos e mais de 250 feridos, sete dos quais graves, e destruiu meio milhar de casas, 261 das quais habitações permanentes, e 50 empresas.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1369 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30