quarta-feira, 31 maio 2023

Vinho português à conqu…

maio 30, 2023 Hits:762 Opinião

Esta Raça de Ser Portist…

maio 29, 2023 Hits:519 Opinião

Conceitos Marcelistas

maio 25, 2023 Hits:158 Opinião

As correrias da Bia ou a …

maio 24, 2023 Hits:1578 Crónicas

Sou Galamba

maio 24, 2023 Hits:1085 Opinião

Esta vida de marinheiro

maio 22, 2023 Hits:907 Opinião

Josué

maio 21, 2023 Hits:732 Opinião

Saudades de casa

maio 21, 2023 Hits:1170 Crónicas

Não há pastelaria como …

maio 21, 2023 Hits:1751 Crónicas

Vício vencido, a liberda…

maio 20, 2023 Hits:1325 Opinião

Brindemos com vinho verde…

maio 20, 2023 Hits:1611 Opinião

Darth Vader à Portuguesa

maio 10, 2023 Hits:740 Opinião

Mais um dia em Elvas

maio 10, 2023 Hits:1057 Apontamentos

Comunidade luso-americana ainda exibe padrões de machismo apesar de evolução





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor!

A comunidade luso-americana ainda exibe padrões de machismo na hierarquia das suas organizações, apesar de haver agora mais mulheres em cargos de liderança, disseram as participantes da terceira edição da iniciativa “As Nossas Vozes”. 

“Aqui na nossa comunidade ainda estamos um bocadinho atrasados, ainda há clubes e Festas que não deixam as senhoras participar nas reuniões”, disse a contabilista Marie Kelly, que nasceu na ilha de São Jorge e reside agora em Modesto, vale central da Califórnia. 

“As pessoas que vieram ficaram como estavam quando emigraram e educaram os filhos daquela maneira”, afirmou. “Até que venha outra geração que comece a valorizar a mulher, estamos ainda atrasados”. 

Intitulada “Mulheres da Diáspora Portuguesa nos Estados Unidos”, esta edição da iniciativa do Conselho de Liderança Luso-Americano (PALCUS) e Instituto Português Além-Fronteiras (PBBI) debateu o papel feminino na comunidade imigrante e o fraco histórico de mulheres em cargos de liderança. 

“Ainda existe muito machismo, sem dúvida”, considerou a advogada Anabela Dacruz-Melo, que exerce em Nova Jersey e tem cerca de 75% dos seus clientes na comunidade portuguesa.

“Na nossa profissão existem homens que nos tratam como cidadãs de segunda classe”, afirmou a advogada, natural da Bairrada e emigrante nos Estados Unidos desde os 15 anos. 

No entanto, Anabela Dacruz-Melo referiu que existe um movimento de mudança na sociedade, que entende que as mulheres não devem ser tratadas assim, e isso também se reflete no associativismo.

“Já corremos muito percurso para chegar onde estamos e há muita mulher à frente de muita organização agora, e é bom de se ver”, afirmou. Segundo a sua opinião, há agora um reconhecimento da importância das mulheres nos clubes e associações, onde sempre estiveram em segunda fila.

Foi o que indicou também Márcia Sousa Da Ponte, formada em gestão de empresas nos Açores e emigrante em Rhode Island. 

“Havia clubes portugueses que não permitiam a entrada das mulheres como sócias”, lembrou. Salientando que há uma evolução patente do papel que as mulheres estão a assumir, a luso-americana afirmou que é preciso continuar o trabalho. “Temos muito que continuar a conquistar”, opinou.

Para Cristina da Silva, que nasceu na América filha de emigrantes portugueses, a ausência das mulheres dos cargos de liderança nas associações traduziu a falta de apoio dos maridos e da comunidade. 

“Talvez a comunidade portuguesa tenha sido machista”, afirmou. “Eu reparava isso quando ia a Portugal, via a diferença, ouvia certos comentários”, indicou. 

Isso é algo que está a mudar com os tempos. “Nos últimos anos as mulheres têm uma voz mais forte, estão a desempenhar estes cargos e a comunidade portuguesa tem evoluído”, considerou. 

“Espero que continue a ser assim, com mulheres à frente destas associações, que antes eram só homens”, continuou, apontando que no próprio governo dos Estados Unidos só agora há uma mulher no cargo de vice-presidente, Kamala Harris. 

“Pouco a pouco, as mulheres estão a entrar no papel que deviam ter tido sempre”, afirmou. 

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!



Luso.eu | Jornal Notícias das Comunidades

luso.eu Jornal Comunidades

A nossa newsletter

Jornal das Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 441  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

Top News Embaixada

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31