Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Depois do folar limiano... a broa com sardinha!

ID:N°/ Texto: 5473
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Vítor Lima é um conhecido Chef de Pastelaria limiano, autor de alguns ícones da nossa gastronomia. Entre doces e salgados que seu talento tem produzido, salientamos uma série de bombons com sabores diversificados, e o Folar Limiano, este com elevado sucesso em Portugal e estrangeiro, designadamente na Europa, com degustações e representação na Espanha, Bélgica e França.

Agora, em tempo de Covid – 19, o proprietário da Casa do Folar Limiano “reinventou as festas populares” juninas, pois com arraiais e quejandos eventos proibidos, é preciso celebrar em casa, com família e amigos.

Assim, até ao próximo dia 29 do corrente (S. Pedro), Vítor Lima apresenta para os seus clientes a broa de sardinha, um combinado do pão de milho com a apreciada iguaria pesqueira presente nos santos populares.

Mas, porque havia necessidade duma alternativa ao produto alimentar marítimo, transformado como entrada ou acompanhante de refeição, o Chef Vítor Lima, pensou, experimentou, e já o divulgou…

Trata-se da broa de milho amarelo com enchidos, especialmente uma selecção de chouriça de carne e similares, cujos elogios de consumidores sucedem-se. Assim, enquanto que a iguaria com sardinha estará disponível por mais uns dias (também a época habitual de consumo do produto), o misto de carnes do mundo rural estará para durar algum tempo!

Ponte de Lima e um jovem conhecedor de nossas tradições gastronómicas, com formação na área em Portugal, Bélgica e França, lança assim novos produtos para um catálogo da História da Alimentação local.

Antes de fechar, recorremos ao nosso arquivo particular: a razão, é que encontramos um apontamento histórico sobre o consumo multisecular do ingrediente para confecionar esse novo ícone da panóplia de sabores limianos. Eis então a curiosidade: no ano de 1681, o município de Ponte de Lima, em sua sessão de 20 de Agosto, deliberou que oito regateiras da vila “que para bem deste povo e por certas e determinadas razões … não convinha ir buscareixe fresco a Viana … comprometeram-se a ir buscá – lo a Fão e a Esposende e a outro parte que lhes parecesse…. E muitas pessoas de fóra vinham á vila vender peixe, sardinha e bacalhau.”

Os vereadores atenderam a reclamação das peixeiras, não autorizando a venda “sem que elas esgotassem primeiro o seu (pescado)…”

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

Tito Morais
Author: Tito Morais
Colaborador convidado
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Covid-19: EUA com 532 mortos e mais de 48 mil casos nas últimas 24 horas https://t.co/DaeQiJCOFf
Mais de 900 vinhos marcam presença no concurso Vinduero-Vindouro https://t.co/qRdAKfD8eh
A pandemia de Covid-19 aumentou o risco de burnout parental em Portugal? https://t.co/E1JIRZrZ8K
Follow Jornal das Comunidades on Twitter