(Lusa) - O Tribunal da Relação de Lisboa considerou prescritos os crimes de que o ex-presidente do Benfica João Vale e Azevedo estava acusado, relativos ao desvio de dinheiro dos direitos televisivos do clube, disse hoje à Lusa fonte judicial.

Os factos imputados a João Vale e Azevedo remontavam ao final da década de 90 e o julgamento estava marcado para o início de março, mas a Relação entendeu estar prescrito o procedimento criminal.

Em causa estavam os crimes de peculato (apropriação indevida de dinheiros de instituição pública) e falsificação de documentos, relacionados com os direitos televisivos do Benfica e que envolviam a verba de 1,2 milhões de euros.

Pub


Pub