Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
domingo, 05 dezembro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Sondagem

Os vacinados devem ter prioridade no acesso aos cuidados de saúde em relação aos não vacinados?
  • Votes: (0%)
  • Votes: (0%)
  • Votes: (0%)
Total Votes:
First Vote:
Last Vote:

Entretenimento

  1. Entrevista
  2. LusoPodcast
  3. Foto do Mês

Portugal quer atrair jovens lusodescendentes para trabalhar e estudar em Portugal



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

(Lusa) – A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas disse hoje em Toronto que pretende “atrair jovens lusodescendentes para trabalhar e estudar em Portugal”.

“Somos já um país de imigração. Estamos com uma população envelhecida, necessitámos de mão-de-obra, precisamos que as nossas comunidades, que saíram há umas décadas atrás, que os seus filhos e netos, voltem a Portugal. Esse é o apelo que fazemos”, afirmou Berta Nunes.

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas falava à agência Lusa, está sexta-feira à noite, no Consulado Geral de Portugal em Toronto, à margem de uma exposição de arte da autoria de utentes portadores de deficiência da Sociedade de Caridade Luso-Canadiana.

A governante destacou dois programas existentes, o ‘Regressar’ e o programa na rota dos sete por cento de estudar no ensino superior.

“Nós temos uma quota de sete por cento em todas as universidades e institutos politécnicos em todos os cursos para que os portugueses lusodescendentes jovens que queiram estudar em Portugal possam escolher o seu curso e concluí-lo lá em Portugal”, sublinhou.

Berta Nunes realçou ainda o fato de que Portugal hoje em dia “já não é um país de emigrantes”, apesar da população continuar a sair, mas por diferentes motivos.

“Não o fazem pelas razões que o fizeram nas décadas de 50 e de 60, como quando emigraram para o Canadá, para fugiram da pobreza e da guerra (do Ultramar). Hoje em dia continuam a sair, mas saem porque querem desenvolver carreiras internacionais, conhecer outras oportunidades e outros países”, frisou.

A secretária de Estado das Comunidades Portuguesas está de visita oficial ao Canadá, desde terça-feira, até domingo, onde tem agendados vários encontros com líderes comunitários portugueses, políticos luso-canadianos, visitando vários postos consulares portugueses e passando por Winnipeg, Otava, Kingston e Toronto.

Apesar de reconhecer que os jovens lusodescendentes têm no Canadá “muitas oportunidades de trabalho”, um país que também necessita de mão-de-obra, muitas das vezes, pretendem regressar a Portugal, “quer pela qualidade de vida ou pelos laços afetivos”, existindo medidas de incentivo.  

Como estímulo para os lusodescendentes regressarem a Portugal, Berta Nunes destacou a qualidade existente no ensino universitário e politécnico em Portugal, optando por cursos que no Canadá “poderão ter dificuldades”, mas existem outros atrativos.

“No programa Regressar, caso pretendam voltar e trabalhar por contra doutrem, ou para criar o seu próprio emprego, têm apoio ao regresso, em termos de transporte e de instalação. Se trabalharem por conta doutro têm um desconto no IRS de 50%. Se quiserem criar o seu próprio emprego, têm apoios do Instituto de Emprego e de Formação Profissional, e se quiserem criar uma empresa, têm uma linha de crédito no programa Regressar, que está a ser renovada para ser mais atrativa, que pode apoiar investimentos para criar empresas ou o seu próprio emprego em Portugal”, destacou.

No Consulado Geral de Portugal em Toronto Berta Nunes distinguiu com a medalha de mérito das comunidades portuguesas, a presidente da Casa das Beiras de Toronto Linda Correia, o antigo conselheiro das comunidades João Martins Dias e o empresário José Botelho.

A secretária de Estado das Comunidades vai hoje almoçar com a comunidade no Clube Português de Kitchener, tendo ainda na agenda uma visita à comunidade portuguesa de London, no sul do Ontário.  

A visita oficial de Berta Nunes ao Canadá encerra no domingo, com passagem pela Casa do Alentejo de Toronto, à Sociedade de Caridade Luso-Canadiana e à Casa da Madeira de Toronto. 

Dados do recenseamento canadiano de 2016 revelam que existiam no Canadá 483.610 portugueses e lusodescendentes, ou seja, 1,4% da população no país.

A maioria encontrava-se no Ontário (69%), no Quebeque (14%) e na Colúmbia Britânica (8%).


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 275 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

News Fotografia