X

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.

quinta-feira, 26 maio 2022

O Futuro é a Europa

maio 26, 2022 Hits:47 Opinião

Serafim Saudade

maio 22, 2022 Hits:65 Opinião

A Sabedoria e o Escrito

maio 18, 2022 Hits:107 Crónicas

Como se houvesse amanhã

maio 15, 2022 Hits:122 Crónicas

PCP (Partido Cumplicement…

maio 09, 2022 Hits:224 Opinião

Dia Mundial da Língua Po…

maio 05, 2022 Hits:338 Opinião

Vereadores da Coligação…

maio 04, 2022 Hits:1110 Opinião

Um domingo qualquer

maio 01, 2022 Hits:223 Crónicas

Portugal dos pequenitos

maio 01, 2022 Hits:206 Opinião

Entretenimento

  1. Entrevista
  2. LusoPodcast
  3. Foto do Mês
  4. Lifestyle

Covid-19: Consulado de Londres reabriu com medidas de segurança, mas portugueses têm receio





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


(Lusa) - O Consulado-Geral de Portugal em Londres adoptou medidas para respeitar o distanciamento social e alargou o horário de atendimento, mas muitos portugueses estão a cancelar ou a faltar às marcações por receio de contágio com covid-19. 

Após dois meses com o atendimento apenas reservado a casos de emergência devido ao confinamento decretado pelo Governo britânico, o consulado reabriu há duas semanas para entregar documentos de identificação. 

Esta segunda-feira foi retomado o atendimento presencial, mas apenas por marcação prévia e com condições: os utentes têm de usar máscara no interior do consulado e respeitar o distanciamento social, notório na sala de espera, quase vazia e com apenas algumas cadeiras disponíveis.

Nas diferentes salas existem dispensadores de gel desinfectante e os postos de atendimento tem painéis de acrílico protetores para separar utentes e funcionários. Apesar disso, alguns portugueses ainda têm receio de se deslocar ao consulado. 

“Nestes primeiros dias tivemos uma percentagem significativa de quebras, de pessoas que aceitam a marcação mas que não vêm. Algumas das quais cancelam e compreendemos porquê. A razão principal é o receio. Têm ainda receio de sair, têm receio de vir ao consulado”, disse a cônsul-geral, Cristina Pucarinho, à agência Lusa. 

Porém, a diplomata garantiu que "foram criadas condições de segurança para que os utentes possam vir ao consulado com confiança de que não sofrem aqui ou que não são aqui expostos a riscos". 

Para manter um "acesso disciplinado e controlado”, as marcações passaram a ser distribuídas agora ao longo de 11 horas de funcionamento sem encerramento para hora de almoço. 

“Temos marcações mais compassadas e a equipa subdividida também em dois, porque temos de assegurar o distanciamento social entre os próprios trabalhadores e o espaço é exíguo. Temos o posto aberto mais horas, entre as 08:00 e as 19:00, e trabalhamos ininterruptamente com toda a equipa mobilizada para todos os atos consulares”, assegurou Pucarinho.

O objetivo é manter uma capacidade aproximada aos níveis anteriores de entre 600 a 900 pessoas por dia, a maioria das quais procuram a emissão de documentos de identificação como o cartão do cidadão e passaporte. 

No exterior, vários utentes disseram à Lusa que conseguiram as marcações para atendimento apenas na semana passada, quando antes do encerramento devido à pandemia covid-19 era possível ter de esperar semanas ou meses por uma vaga. 

“Marquei na sexta-feira e recebi um email de confirmação no domingo. Apesar de ser apenas dois dias de antecedência, decidi vir”, contou Carlos Azevedo, que viajou de Dorking, cerca de 70 quilómetros a sul de Londres. 

A reabertura do consulado em Londres coincidiu com a do Consulado-Geral de Manchester, que também anunciou a retoma "de forma gradual e progressiva” do atendimento presencial, suspenso desde meados de março, quando foi imposto o confinamento no Reino Unido para travar a pandemia de covid-19.

No entanto, as deslocações de funcionários a localidades onde se concentra uma numerosa comunidade portuguesa, conhecidas por permanências consulares, continuam suspensas devido às restrições em vigor.

O Reino Unido está a reduzir gradualmente o confinamento decretado no final de março, tendo reaberto alguns infantários e escolas primárias, lojas de automóveis e mercados ao ar livre. Lojas de roupas, livrarias e outros comércios não essenciais estão previstos reabrir em meados de junho.

 

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 864 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
9
10
12
13
15
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia