Colocámos cookies no seu computador para melhorar a sua experiência no website. Ao utilizar o site, está a concordar com o seu uso. Ler mais

Lusoproductions  has placed cookies on your computer to help improve this site. By using this site, you are consenting to its usage. Ler mais

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Em nota publicada no seu mural do Facebook o deputado Carlos Gonçalves mostrou a sua decepção com o Secretário de Estados das Comunidades e lamenta o “timing” do convite.

Carlos Gonçalves refere na sua página do Facebook que recebeu ontem sexta-feira uma comunicação proveniente do Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas a informar que -“iria ter lugar, [hoje sábado] e domingo, a 2.ª edição dos Diálogos com a Comunidade”, estando previstas sessões com vários membros do Governo em Londres e Manchester.

Refere que ao contrário do que aconteceu com a 1.ª Edição, que teve lugar em Bruxelas e que contou com a presença do Ministro dos Negócios Estrangeiros Santos Silva, “desta vez não fui convidado oficialmente e a informação relativa à iniciativa não chegou, como seria expectável, com a antecedência necessária para que me pudesse organizar no sentido de estar presente.”
Carlos Gonçalves informa que, “devido a compromissos assumidos anteriormente não me é possível em tão curto espaço de tempo, alterar a minha agenda e anular as iniciativas que organizei com a comunidade portuguesa residente na Suíça.”

Adianta que “seria importante a presença do deputado eleito pelo círculo eleitoral da Europa e, teria todo o interesse em participar nessa iniciativa à semelhança do que fiz em relação ao evento que se realizou em Bruxelas.”

O deputado Carlos Gonçalves considera que a sua presença seria agora “ainda mais importante, pois o Reino Unido é o país no meu círculo eleitoral, que mais emigrantes acolhe na actualidade e que mais insuficiências conhece no apoio que é prestado às nossas comunidades no plano consular.”

Termina a sua nota dizendo que o Governo “não é obrigado a convidar-me mas não entendo a diferença entre a Bélgica e o Reino Unido.”
Remata esclarecendo e lamentando que “no primeiro caso foram várias as insistências para a minha participação, o que fiz com todo o gosto, e agora, em Londres e Manchester, nem sequer uma simples informação nos chegou em tempo útil.”

Pub

Conecte-se

Se deseja inscrever-se na nossa newsletter, Digite seu endereço de e-mail.