Com o apoio do Camões
Com o apoio da LusoProductions
A MEMÓRIA E OS SENTIDOS DA ÁFRICA LUSÓFONA

 Inscrições encerradas
0
Categoria
Comunidades
Data
8 de Nov. de 2018 19:00 - 23:00
Local
Maison du Peuple - Parvis Saint-Gilles 39
1060 Saint-Gilles, Bélgica
Telefone
+32 466044353
Email
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Anexo

A MEMÓRIA E OS SENTIDOS DA ÁFRICA LUSÓFONA
Os percursos e suas questões
Iremos assistir os diversos ângulos de uma Africa Lusófona marcada por conflitos políticos, económicos e culturais. Numa perspectiva que atravessa as lutas pela libertação do Cabo Verde, dos fluxos internos marcados pela pobreza em São Tomé e Principe e os desafios contemporâneos em Angola e Moçambique.

FILMES

CANHÃO DE BOCA | Ângelo Lopes
"Canhão de Boca", expressão usada pelo "pai" das independências de Cabo Verde e Guiné-Bissau, Amílcar Cabral, aborda o papel da Rádio Libertação na luta pela independência. O documentário conta com participação de Amélia Araújo, a principal locutora e animadora da Rádio Libertação, estação emissora criada em 1967 e utilizada pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) para difundir as ideias durante o conflito que o opôs ao Exército português na luta pela independência (1963/74).
Financiado pela CPLP (Comunidade dos países de língua portuguesa)

Género: DOC
Duração: 52’
Legendas: FR

SERVIÇAIS DAS MEMÓRIAS À IDENTIDADE | Nilton Medeiros
Nos finais do século XIX, depois da introdução do café e do cacau, a abolição da escravatura obrigou os colonos portugueses a contratação de mão-de-obra de Angola, Moçambique e Cabo Verde, que abriria caminho para o trabalho forçado. Esses trabalhadores contratados, chamados também de serviçais, viviam separados da população local. As suas vidas limitavam-se ao trabalho árduo nas plantações.
Com a independência do país e a nacionalização das roças em 1975, o novo estado independente concedeu a plena cidadania e direitos iguais a todos os habitantes.
Passados mais de meio século desde a chegada dos últimos serviçais cabo-verdianos, as antigas barreiras coloniais não desapareceram completamente. Muitos ex- serviçais e seus descendentes ainda vivem à margem da sociedade, remetidos ao seu destino nas roças onde tentam encontrar o seu sustento.

Parceiro: Parallax

Género: DOC
Duração: 52’
Nacionalidade: STP
Legendas:EN

PERCURSOS | Mauro Pereira
O filme explora o percurso de um cidadão de Cabo Verde em Angola, que regressa aos eu país e procura compreender a razão para continuar emigrado.

Parceiros: Parallax | PALOP-TL
Género: DOC
Duração: 20’
Nacionalidade: ANG
Legendas: FR

VESTINDO A RELIGIÃO | Yara Costa
Na pequena Ilha de Moçambique, a religião sempre fez parte da vida de todos. Mas a recente escolha de Karen, uma jovem muçulmana, causa estranheza na sua comunidade, enquanto ela se descobre no Islão mais radical.

Financiado pelo PALOP-TL Programa Europa/Países Africanos da Língua Oficial Portuguesa e Timor Leste

Género : DOC
Duração: 14’
Nacionalidade: MOZ
Legendas: FR

A MEMÓRIA E OS SENTIDOS DA ÁFRICA LUSÓFONA
Os percursos e suas questões
Iremos assistir os diversos ângulos de uma Africa Lusófona marcada por conflitos políticos, económicos e culturais. Numa perspectiva que atravessa as lutas pela libertação do Cabo Verde, dos fluxos internos marcados pela pobreza em São Tomé e Principe e os desafios contemporâneos em Angola e Moçambique.


FILMES

CANHÃO DE BOCA | Ângelo Lopes
"Canhão de Boca", expressão usada pelo "pai" das independências de Cabo Verde e Guiné-Bissau, Amílcar Cabral, aborda o papel da Rádio Libertação na luta pela independência. O documentário conta com participação de Amélia Araújo, a principal locutora e animadora da Rádio Libertação, estação emissora criada em 1967 e utilizada pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) para difundir as ideias durante o conflito que o opôs ao Exército português na luta pela independência (1963/74).

Financiado pela CPLP (Comunidade dos países de língua portuguesa)

Género: DOC
Duração: 52’
Legendas: FR

SERVIÇAIS DAS MEMÓRIAS À IDENTIDADE | Nilton Medeiros
Nos finais do século XIX, depois da introdução do café e do cacau, a abolição da escravatura obrigou os colonos portugueses a contratação de mão-de-obra de Angola, Moçambique e Cabo Verde, que abriria caminho para o trabalho forçado. Esses trabalhadores contratados, chamados também de serviçais, viviam separados da população local. As suas vidas limitavam-se ao trabalho árduo nas plantações.
Com a independência do país e a nacionalização das roças em 1975, o novo estado independente concedeu a plena cidadania e direitos iguais a todos os habitantes.
Passados mais de meio século desde a chegada dos últimos serviçais cabo-verdianos, as antigas barreiras coloniais não desapareceram completamente. Muitos ex- serviçais e seus descendentes ainda vivem à margem da sociedade, remetidos ao seu destino nas roças onde tentam encontrar o seu sustento.

Parceiro: Parallax

Género: DOC
Duração: 52’
Nacionalidade: STP
Legendas:EN

PERCURSOS | Mauro Pereira
O filme explora o percurso de um cidadão de Cabo Verde em Angola, que regressa aos eu país e procura compreender a razão para continuar emigrado.

Parceiros: Parallax | PALOP-TL
Género: DOC
Duração: 20’
Nacionalidade: ANG
Legendas: FR

VESTINDO A RELIGIÃO | Yara Costa
Na pequena Ilha de Moçambique, a religião sempre fez parte da vida de todos. Mas a recente escolha de Karen, uma jovem muçulmana, causa estranheza na sua comunidade, enquanto ela se descobre no Islão mais radical.

Financiado pelo PALOP-TL Programa Europa/Países Africanos da Língua Oficial Portuguesa e Timor Leste

Género : DOC
Duração: 14’
Nacionalidade: MOZ
Legendas: FR

 

 
 

Todas as datas

  • 8 de Nov. de 2018 19:00 - 23:00

Últimos Tweets

Fogo amigo https://t.co/KnFr3eju8C
Covid-19: Quarentena de equipas inglesas é decisão dos governos - UEFA https://t.co/E7x4v4S9xI
Covid-19: Luxemburgo pede a imigrantes lusófonos que "permaneçam vigilantes" https://t.co/H7rR0jdlKD
Follow Jornal das Comunidades on Twitter