segunda-feira, 28 novembro 2022

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:290 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:261 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:139 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:513 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:206 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:252 Opinião

CRIANÇA PRESA NO PENICO

Nov. 13, 2022 Hits:463 Crónicas

Duas tardes em Coja

Nov. 13, 2022 Hits:796 Apontamentos

Esta vida de hipster

Nov. 08, 2022 Hits:127 Crónicas

Ladroagem Eleitoral

Nov. 06, 2022 Hits:337 Opinião

O “Auto Suicídio” de…

Nov. 04, 2022 Hits:342 Opinião

Será preciso (mais) uma guerra na Europa para termos, finalmente, uma Europa Federal?





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Dos sucessivos alargamentos ao Brexit, a União Europeia (EU) foi avançando graças a sucessivas crises de integração. Como projeto, assegurou mais de 70 anos de paz com ganhos significativos de qualidade de vida para os seus povos. Será preciso (mais) uma guerra na Europa para termos, finalmente, uma Europa Federal?

Não é só a ausência de capacidade militar organizada (até porque os países membros da EU juntos gastam mais que a Rússia em despesa militar), a dependência energética da Europa coloca-a numa situação de fragilidade crónica, com uma expressão muito evidente na eminente falta de consenso dos líderes europeus quanto a sanções a aplicar à Rússia.

O novo governo da Alemanha já inclui no seu programa o objetivo ajudar a construir a uma Europa Federal. O Presidente Macron não se cansa de lançar a necessidade de refletirmos sobre o novo reenquadramento geoestratégico da EU. A Itália, não obstante o seu governo ter que lidar com uma coligação difícil, tem um dos executivos mais europeístas dos últimos e atribulados anos.

A Holanda, a Bélgica, o Luxemburgo, a Estónia e a Irlanda são países liderados por europeístas convictos com grande vontade de renovar a EU. Enfim, poderíamos dizer que facilmente poderíamos ter um grupo de 10 nações a darem o primeiro passo na constituição de um grande estado Federal. Outros se seguiriam, com certeza.

Temos que ter a coragem de deixar de ser essencialmente uma união económica cujo seu funcionamento é cada vez mais difícil de governar, com camadas e camadas de asfixiante burocracia que ameaçam paralisar a UE. As soberanias, os símbolos, as monarquias, as bandeiras, seriam salvaguardadas. Ninguém é obrigado a entrar, nem ninguém é forçado a ficar, se quiser sair.

Precisamos de uma Constituição simples que seria referendável, instituições bem definidas, poderes e competências claramente atribuídas.

As vantagens são enormemente superiores aos prejuízos. Passaríamos a ser um dos 3 blocos económicos mundiais, o 4º bloco militar global, e seguramente o bloco democrático mais ecológico e humanista do planeta. A Federação Europeia seria muito mais influente, mais próspera e justa, para além da sua capacidade de integração social e de crescimento serem multiplicadas.

Não nos podemos esquecer que estamos perante uma crise demográfica na Europa. As inúmeras sinergias possíveis, a mobilidade interna, o dinamismo gerado pela migração interna e externa, trariam inovação a capacidade de empreender algo grande, muito bom e superior. A Europa, como grande nação federal, deixaria de ser um dilema permanente, uma promessa adiada, um futuro interminavelmente aguardado.

Pode ser mesmo já, ainda antes do final da década, uma Federação que orgulhe os europeus e o mundo!    

Pedro Malheiro

Candidato #2 do Volt Portugal ao Círculo da Europa

Luso.eu - Jornal das comunidades
Author: Pedro Costa MalheiroEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 813  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

News Fotografia