quinta-feira, 06 outubro 2022

O AMOR DE MÃE É ETERNO

Out. 04, 2022 Hits:74 Crónicas

INSULTUOSO – CORROMPIDO…

Out. 01, 2022 Hits:246 Opinião

Então Paris como é?

Set. 28, 2022 Hits:49 Crónicas

Desliguei a internet

Set. 26, 2022 Hits:73 Crónicas

OS TEMPOS DAS CIDADES

Set. 19, 2022 Hits:117 Crónicas

Quem vai pagar impostos?

Set. 19, 2022 Hits:112 Opinião

Os robots não devem paga…

Set. 18, 2022 Hits:246 Opinião

Paternalismo

Set. 14, 2022 Hits:95 Crónicas

Rota dos Registos Civis





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


I have a cunning plan milord. Baldrick da série Blackader 

Nestas férias de Verão dei por mim a fazer algo completamente novo, andei a visitar Registos Civis. Há quem vá a Portugal para ver a família, amigos e aproveitar a praia. Já eu, andei a viajar pelo interior de Portugal em busca de um Registo Civil. E como é que eu me vi nesta situação? 

Tudo começou em Maio deste ano, quando me apercebi que seria necessário renovar em breve o Cartão de Cidadão (CC) da minha filha. É verdade que ainda faltavam mais de 6 meses para o cartão expirar. Mas aceder aos serviços consulares portugueses hoje em dia é quase tão difícil como ganhar o Euromilhões. Que o digam os pais da criança que esteve mais de um ano até ser registada. Um tipo até pensa que a criança nasceu nos confins do mundo, a quilómetros da civilização. Mas depois lê a notícia e fica-se a saber que isto sucedeu em Barcelona. Pensando bem, se calhar seis longos meses para renovar o CC da minha filha em Bruxelas até podem não ser suficientes. Mas sejamos optimistas, quão difícil será marcar uma data para renovar o CC algures nos próximos seis meses ? A julgar pela minha experiência, não só é difícil, como é mesmo impossível. 

O consulado tem um site através do qual se acede a um formulário para marcar uma ida. O problema é que depois de meia-dúzia de cliques, recebi um e-mail a informar ipsi verbis: 

que os serviços consulares se encontram com a agenda preenchida para o ato consular pretendido 

Como não sou tipo para desistir facilmente, volto a tentar uma semana mais tarde. De novo, não há datas disponíveis. Sem stress, volto a tentar umas semanas mais tarde. E à terceira parece que foi de vez, pois recebi um email com uma resposta. A dizer que não há vagas. Confesso que perdi a compostura e respondi:

Estamos no meio de Junho e não há *nenhuma* vaga até ao final do ano ? Nem sequer no ano que vem ? Nem daqui a dois anos ? O que significa exactamente " que os serviços consulares se encontram com a agenda preenchida para o ato consular pretendido." O consulado português em Bruxelas fechou ?  

Do outro lado respondem-me que: 

Atentos à questão enviada, a qual mereceu a nossa melhor atenção, informamos que, a esta data, a agenda consular se encontra preenchida. 

Houve ainda mais uma troca de e-mails que não reproduzo aqui por pudor, mas do outro lado a resposta foi sempre a mesma: não há disponibilidade. Entretanto aproximava-se Agosto e eu lembrei-me que podia fazer a renovação em Portugal. Até há um site todo catita que permite escolher a data, hora e o Registo Civil onde fazer a renovação. Como também precisava de pedir outra papelada no Registo Civil, aproveito e mato dois coelhos de uma só cajadada. Ou assim pensei eu. 

Azar dos Távoras, marquei a minha visita ao Registo Civil para uma segunda-feira de Agosto. Exactamente em cima de uma greve dos Registos Civis convocada para todas as sextas e segundas de Agosto. Tombado mas não derrotado, procuro uma nova data nos dias que ainda me restam de férias. E que não coincida com as férias, perdão, greve dos senhores funcionários do Registo Civil. Lá consigo, mas noutro Registo Civil um pouco mais longe. Com o problema resolvido, baixo o telemóvel, levanto a cerveja e sigam as férias. 

Uns dias mais tarde, na data marcada fui com a minha filha ao segundo Registo Civil e espero pela nossa vez. Felizmente os fregueses eram poucos, provavelmente porque estamos em Agosto, e sou rapidamente atendido. A funcionária, simpaticíssima, diz-me com uma cara desolada que a máquina para fazer o CC está avariada já faz mais de 8 dias e ninguém vem reparar. Está explicado porque é que foi tão fácil marcar para este Registo Civil. 

Toca então de agarrar no telemóvel, e lá encontro disponibilidade noutro Registo Civil. Que fica noutro distrito, bem no interior de Portugal. Mas como o gato escaldado da água fria tem medo, decidi telefonar antes, para confirmar que posso lá fazer a renovação do CC. Para meu espanto, não só atendem o telefone, como a funcionária me tranquiliza e diz que sim, tudo em ordem.  

E foi assim que lá consegui renovar o CC da minha filha. Só foram precisos 4 meses, 4 mil quilómetros de avião, e visitar três Registos Civis diferentes. Fácil. Nem percebo porque é que os portugueses se queixam dos serviços públicos. E ainda bem que tive que andar à procura de um Registo Civil, porque foi durante estas viagens que me ocorreu uma ideia, modéstia à parte, brilhante: criar uma rota dos Registos Civis de Portugal. Uma vez que os emigrantes portugueses não conseguem resolver nada nos consulados e somos obrigados a ir a Portugal, porque não criar uma Rota dos Registos Civis ? 

Marcava-se uma renovação do CC para Melgaço. Se não for possível, prova-se o alvarinho e tenta-se no Registo Civil de Caminha. A máquina está avariada? Um copo de verde bem fresquinho, e bora para Ponte de Lima. E se aqui o Registo Civil estiver fechado por causa da greve, um arrozinho de lampreia que um homem também precisa de carinho. E por aqui em diante. Com um bocado de sorte, ou azar, o emigrante dá por ele a comer uma sopa da pedra em Almeirim ou uma açorda em Serpa. As possibilidades são infinitas, e talhadas aos gostos de cada um. Quem quiser descobrir a gastronomia transmontana, pode tentar a sorte nos registos civis de Chaves, Mirandela, Murça e Mogadouro. E se não conseguir resolver a burocracia, pelo menos vem com uns quilitos a mais da boa gastronomia portuguesa. 

Fica aqui a ideia, ao cuidado do Secretário das Comunidades Portuguesas. Ainda deve estar certamente a responder à carta que a IL do Benelux lhe enviou, mas quando arranjar um tempinho para se ocupar das comunidades portuguesas, está aqui uma ideia com potencial. Fecha-se os consulados, que pouco já fazem, e os emigrantes ficam a conhecer melhor o país de onde vieram.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Nelson Gonçalves
Author: Nelson GonçalvesEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1784 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia