sexta-feira, 27 janeiro 2023

Isto não é um país É …

Jan. 20, 2023 Hits:265 Opinião

Epistocracia - O óptimo …

Jan. 15, 2023 Hits:988 Opinião

No Palácio do Raio

Jan. 15, 2023 Hits:400 Apontamentos

Távora- Varosa

Jan. 13, 2023 Hits:142 Crónicas

MAESTRO

Jan. 13, 2023 Hits:177 Crónicas

Braga de traço recente

Jan. 11, 2023 Hits:905 Apontamentos

Reforma Lei Eleitoral - M…

Jan. 11, 2023 Hits:165 Opinião

Racionalidade Politicamen…

Jan. 09, 2023 Hits:194 Opinião

A caminho de Salir

Jan. 08, 2023 Hits:1009 Crónicas

NO DEALBAR DE UM NOVO ANO

Jan. 08, 2023 Hits:385 Crónicas

"OS PORTUGUESES SÃO O JACKPOT"





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Os portugueses são o jackpot" é uma expressão de um sociólogo suíço a referir-se aos emigrantes portugueses.

Os portugueses são de facto muito bons e como já o disse dão cartas em muitas áreas de actividade no mundo inteiro.

Também já o disse e repito, com gosto, que 40% da população activa do Luxemburgo, o país mais rico da Europa, são portugueses.

A pergunta que se deve colocar é porque somos maus cá dentro?

Este sociólogo disse isto porque os portugueses ganham pouco, trabalham muito e bem e sobretudo porque "não fazem ondas", ou seja, não levantam problemas nos países de destino.
O que não acontece com outros povos que querem fazer valer a sua cultura e hábitos nesses mesmos países.
Os portugueses adaptam-se e integram-se com facilidade nos países de chegada e talvez por isso se encontre um português nos quatro cantos do mundo.
Outra coisa valorizada é que o português é especialista no desenrasque. Um faz tudo, sem meios e quando menos se espera.
Algo muito bem explorado no filme "A Gaiola Dourada" em que o marido da porteira arranja tudo aos vizinhos e não importa a que horas.

Como vemos, somos muito valorizados no estrangeiro e recentemente, na crise de 2011 com a "Troika" em Portugal, muitos portugueses foram trabalhar para outros países.
E não se tratou apenas da mão de obra pouco qualificada, pelo contrário.
Dou o exemplo dos enfermeiros que foram trabalhar para a Inglaterra onde receberam salários decentes e deixaram uma imagem de excelência de Portugal.
Tanto é verdade, que agora com o Brexit muitos estão a ser convidados para irem trabalhar para a Alemanha.
E não são apenas os enfermeiros.
Falo por exemplo de muitos médicos que já estão a trabalhar na Alemanha com salários que Portugal não pode sequer competir mas cuja formação custou em média cerca de 100 mil euros ao Estado português.
Portugal forma e depois "convida" a sair e a Alemanha aproveita porque a formação de um médico português para esse país foi zero.

De facto, em Portugal não produzimos, talvez por termos gestores de empresas que não sabem valorizar a sua mão de obra.
Empresas que pagam salários miseráveis e que têm lucros fabulosos.
Um Estado que desincentiva a iniciativa privada com burocracia, um sistema de justiça jurássico e com impostos absurdos.
CEOs de topo que quando são contratados para reestruturar uma empresa a primeira coisa que lhes vem à cabeça é a palavra "despedimentos" mas que não abdicam do seu bruto salário e de todas as benesses associadas ao salário.

Em Portugal não produzimos porque entre escolher um salário de 500 euros ou um subsídio de 400 a decisão não parece difícil.
Portugal vai assim enganando as estatísticas do desemprego, do emprego precário e de muita exploração visível a céu aberto mas disfarçada por engenheiros financeiros pagos a preço de ouro pelos sucessivos governos.

Mas, digam o que disserem, nós temos hoje a geração mais bem formada de sempre e que já viu que o mundo é o mercado de trabalho.
A continuar assim, sem uma visão estratégica do futuro, sem o apoio à natalidade, Portugal será em 2100, segundo as previsões, um país com com 4 milhões de habitantes.
Provavelmente de velhos e e um país que voltou ao tempo das leirinhas de Miguel Torga.

Enfim.
Portugal no seu melhor ou como diria um bom português "O rei vai nu"!

Luso.eu - Jornal das comunidades
Damião Cunha Velho
Author: Damião Cunha VelhoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 647  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia