quinta-feira, 29 setembro 2022

Então Paris como é?

Set. 28, 2022 Hits:21 Crónicas

Desliguei a internet

Set. 26, 2022 Hits:62 Crónicas

OS TEMPOS DAS CIDADES

Set. 19, 2022 Hits:105 Crónicas

Quem vai pagar impostos?

Set. 19, 2022 Hits:94 Opinião

Os robots não devem paga…

Set. 18, 2022 Hits:232 Opinião

Paternalismo

Set. 14, 2022 Hits:87 Crónicas

A BICICLETA DOS ANJOS

Set. 12, 2022 Hits:75 Crónicas

UM CIMBALINO SE FAZ FAVOR

Set. 10, 2022 Hits:339 Crónicas

O aroma do café no ar

Set. 05, 2022 Hits:87 Crónicas

OS "PORTUGUESES DE BEM" DE ANTÓNIO COSTA!





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


António Costa obteve a maioria absoluta nas eleições legislativas. Um feito histórico para quem já está no poder há seis anos.No discurso de vitória, na noite de domingo, Costa disse que receberia todos os partidos excepto o Chega.

O Partido Socialista é um partido de esquerda, de uma esquerda moderada, e uma das bandeiras da esquerda é ouvir as minorias, sendo que 12 deputados é até um pouco mais que uma minoriaPodemos todos achar que o partido de André Ventura é um partido racista, xenófobo ou fascista. Talvez até com razão.

A questão é que o Tribunal Constitucional não entendeu isso e portando considerou o Chega um partido legal. E a constituição prevê a ilegalização de movimentos com essas características. Portanto, se Costa e outros entendem que o Chega não devia existir, que se mobilizem no sentido de que a constituição seja cumprida.

Como até ao momento o Tribunal Constitucional assim não entendeu, António Costa está de certa forma, ao não receber o Chega, a desrespeitar o que foi ditado pelo Tribunal. Ou seja, o que foi ditado pela Constituição da República. Votaram no Chega cerca de 400 mil eleitores.

Goste-se ou não, cumpriram o seu direito de escolher quem os devia representar. Não cometeram nenhuma ilegalidade porque o Chega estava no boletim de voto. Têm, por isso, o direito a serem escutados. Depois, o Primeiro Ministro entende ou não se lhes deve dar voz.

O paradoxo das democracias é respeitarem todas as opiniões, mesmo as que parecem ser antidemocráticas. Caso contrário é ilusória e serve para mascarar o poder de uma élite.Não estou a defender o Chega, porque o acho um partido sem pés nem cabeça ou com uma cabeça muito doente.

Defendo que se tracem linhas vermelhas, mas não assim. Só que até ao momento e como já referi, o Chega é legal e Costa, segundo o que disse na noite eleitoral, não está a respeitar os deveres institucionais entre partidos políticos e nem vai ser o Presidente de todos os portugueses ao excluir os eleitores do Chega. Ou será que também para António Costa existem "portugueses de bem"?!

Luso.eu - Jornal das comunidades
Damião Cunha Velho
Author: Damião Cunha VelhoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 862 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

News Fotografia