segunda-feira, 28 novembro 2022

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:287 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:261 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:139 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:513 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:206 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:251 Opinião

CRIANÇA PRESA NO PENICO

Nov. 13, 2022 Hits:463 Crónicas

Duas tardes em Coja

Nov. 13, 2022 Hits:796 Apontamentos

Esta vida de hipster

Nov. 08, 2022 Hits:127 Crónicas

Ladroagem Eleitoral

Nov. 06, 2022 Hits:337 Opinião

O “Auto Suicídio” de…

Nov. 04, 2022 Hits:342 Opinião

Aceita, mas reage!





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A vida tem destas coisas. Ora boa, ora má, ora" assim, assim", ora... sabe-se lá o quê. Que ma­nia a nossa de catalogar as coisas como se isso, efetivamente, alterasse alguma coisa no passado, presente ou até no futuro. Os acontecimentos são apenas circunstâncias e a forma como os interpretamos determinará o julgamento dos mesmos.

Por outro lado, o relativismo não me preenche os requisitos para uma vida equilibrada e consciente. Ainda que não dependa de nomenclaturas específicas, aquilo que nos acontece pode ser considerado vantajoso ou não mediante os nossos objetivos. Logo, o "bem" ou o "mal" depende dos objetivos de cada um. Ou seja, os acontecimentos não são bons ou maus em si pois dependem do que “sentimos” relativamente a cada acontecimento. Se nos aproxima dos nossos interesses, consideramos “bom”. Se, por outro lado, nos afasta dos nossos interesses, consideramos “mau”. Mas o acontecimento é o mesmo! Por isso mesmo esta forma de definir os aconteci­mentos não me satisfaz.

Prefiro antes: aceitar. Analisar as causas, os factos, possíveis relações com outros acontecimentos, deliberar sobre possíveis soluções e, então, decidir! Um pouco à semelhança do que o filósofo de origens portuguesas Espinosa diria: “Não rir, nem lamentar, nem odiar, mas compreender.” É um apelo à utilização da razão através do pensamento, tentando não ficar ofuscado pela intensidade dos nossos sentimentos quanto àquilo que nos acontece. Parece-lhe utópico? Eu dou exemplos.

Em vez de tentar encontrar uma razão para o porquê de o ser superior em que acredita o deixar adoecer, procure os melhores tratamentos disponíveis e estilo de vida adequado para a sua cura. Em vez de criticar a decisão do seu patrão em não o ter escolhido para um projeto, reflita sobre as formas como pode se tornar mais “visível” e essencial dentro da empresa onde trabalha. Em vez de se culpar pela traição de uma pessoa importante para si, analise se anteriormente já não havia sinais dessa possibilidade e/ou se essa não é a essência dessa pessoa e como tal terá que decidir se quer se sujeitar a isso ou não. E muitos mais poderia enumerar.

Ainda assim, dado que vivemos numa teia em que as nossas ações (ou ausência das mesmas) in­terferem com as vidas dos outros, os "outros" devem fazer parte desta equação. Parece-me que prejudicar o "outro "conscientemente ou não, faz-me perder valor humano. Se o ajudar, sem me prejudicar, acrescenta-me. Se o ajudar, e para isso, me prejudicar... é absurdo!

Por isto, creio que gerir as emoções é crucial. Deliberação é a ferramenta para uma vida sensata, com propósito, mesmo que isso não sirva para nada porque o destino é certo.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Author: Afonso FrancoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 721  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

News Fotografia