Na terra dos gnomos





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Uma das vantagens de estar no centro da Europa é a proximidade a todo o lado. O conforto de apanhar o comboio, dos meios de transporte mais ecológicos, e atravessar fronteiras no tempo de uma reflexão é sem dúvida uma mais valia destas cidades centrais.

Já faz tempo de não conjugo o verbo ir. Ir pra longe do meu canto, do dia-a-dia rotineiro que começa a pesar em mim, insaciável de novas paisagens.

Subo para a carruagem de 1ªclasse que me aguarda na estação. Atravessamos campos verdes de cor primavera, amarelo sol, em direção à fronteira com a Suíça. 

A paisagem arquitetónica torna-se mais alsaciana e aproximamo-nos do meu quadragésimo país visitado. Um marco não muito grande, mas que muito me orgulho.  Basileia estava na minha lista. Uma das cidades helvéticas mais culturais é, entre outras, a sede do Bank of International Settlements que apela à costela de gnomo que há em mim. Inevitável defeito profissional.

O fim de semana é curto. Mas o suficiente para conhecer o pequeno centro histórico sob o Reno dominado por edifícios do sec. XII ao XVI a contrapor com os modernos edifícios desenhados pelos mais prestigiados arquitetos como Franck Guery ou Richard Meier.

Ao sair da estação percebe-se que estamos noutro país. A língua muda. O dinheiro muda. Mas em pouco tempo ouvimos um sotaque nortenho que nos é familiar. Sempre a diáspora por todo o lado. 

Luso.eu - Jornal das comunidades
Patricia Pereira
Author: Patricia PereiraEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!