domingo, 27 novembro 2022

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:95 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:259 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:137 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:510 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:205 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:220 Opinião

CRIANÇA PRESA NO PENICO

Nov. 13, 2022 Hits:459 Crónicas

Duas tardes em Coja

Nov. 13, 2022 Hits:789 Apontamentos

Esta vida de hipster

Nov. 08, 2022 Hits:125 Crónicas

Ladroagem Eleitoral

Nov. 06, 2022 Hits:334 Opinião

O “Auto Suicídio” de…

Nov. 04, 2022 Hits:337 Opinião

Daqui Fala o Planeta Terra





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Novamente, o mesmo pesadelo. Mais uma noite sem sossego, mesmo assim, tentei acalmar-me, aguardando a manhã seguinte, que já caminhava do outro lado do planeta na minha direção. 

Que repercussões devem existir ao escutarmos o aviso do planeta Terra acerca da Nossa fatal degeneração? As palavras que a Terra proferiu, como um trovão galáctico, devem dominar a Nossa atenção. 

Este foi o apelo pronunciado pelo Planeta:

Vou contar-vos uma história sobre a origem de tudo. Há biliões de anos atrás, o Universo nasceu com a mais vigorosa explosão de todos os tempos. Escureceu, até surgirem as galáxias e as estrelas, enchendo o cosmos de luz. Os planetas só mais tarde acordaram. Foi entre o frio do espaço e turbulentas forças gravitacionais, aflitas pela claridade interestelar, que há cerca de 4,5 biliões de anos apareci na galáxia Via Láctea. Depois, surgiu uma molécula, que com o decorrer do tempo foi-se duplicando, produzindo cópias e mais cópias inteiramente por acaso, até se desenvolverem organizadas locomotivas moleculares. Vagarosamente, a Vida, acolhida no meu colo, nascera e preparava-se para ondular livremente, evoluir para uma biodiversidade fascinante.

Primeiro apareceram os dinossauros. Seguidamente, emergiram pequenas criaturas de sangue quente que, progressivamente, aprenderam a construir utensílios e a utilizar o fogo. Foi na África Oriental, há alguns milhares de anos, que deram os primeiros passos. Os seus cérebros desenvolveram inteligência em harmonia com a Natureza. Uma melodia que os transportou através dos oceanos do espaço e do tempo. Seres do Cosmos. Com diversas ideias e paixões. Diferentes histórias. Diferentes memórias.

Durante muito tempo partilhamos um meigo caminho, até que uma nova bandeira foi hasteada. A adoção de uma visão perigosa pelas pequenas criaturas de sangue quente rasgou o desejo de aprenderem com os seus erros. Gradualmente, envenenaram a água, a terra e o ar, alterando o equilíbrio natural.

Sei que as fronteiras nacionais não se destacam quando observadas da vastidão das estrelas, estas apenas determinam regiões de ilusória abundância infinita, espaços de guerra, fome, doença, seca e intempéries. Zonas de fanatismos étnicos, religiosos e nacionalistas. Mais de duzentos Estados nacionais e a única batalha que merece ser travada é a redescoberta do caminho do respeito e harmonia pela Vida nesta esfera azul.

Sinto muito, mas, mais não consigo dizer! É tempo de decisões, de esbaterem diferenças, de cada um encontrar as necessárias forças de inteligência e de carácter para agir.”.

Após ouvir o planeta Terra, não me atrevi a dizer uma única palavra. Silêncio total e absoluto. Cada impulso na minha vontade de falar esbarrava com a resistência de um obstáculo. O Seu apelo era um perpétuo aviso às pequenas criaturas de sangue quente que se têm revelado incapazes de atuar. Miserável fraqueza! A ilusão parece estar prestes a acabar. E sem dignidade humana como poderá existir civilização? 

Novamente, o mesmo pesadelo. Mais um dia sem sossego, mesmo assim, tentei acalmar-me, aguardando a noite seguinte, que já caminhava do outro lado do planeta na minha direção.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Hélio Sequeira
Author: Hélio SequeiraEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 748  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

News Fotografia