sexta-feira, 27 janeiro 2023

Isto não é um país É …

Jan. 20, 2023 Hits:268 Opinião

Epistocracia - O óptimo …

Jan. 15, 2023 Hits:989 Opinião

No Palácio do Raio

Jan. 15, 2023 Hits:401 Apontamentos

Távora- Varosa

Jan. 13, 2023 Hits:143 Crónicas

MAESTRO

Jan. 13, 2023 Hits:178 Crónicas

Braga de traço recente

Jan. 11, 2023 Hits:906 Apontamentos

Reforma Lei Eleitoral - M…

Jan. 11, 2023 Hits:165 Opinião

Racionalidade Politicamen…

Jan. 09, 2023 Hits:194 Opinião

A caminho de Salir

Jan. 08, 2023 Hits:1009 Crónicas

NO DEALBAR DE UM NOVO ANO

Jan. 08, 2023 Hits:385 Crónicas

A problemática da emigração qualificada





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Segundo dados recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), o ano de 2017 assinalou em Portugal uma diminuição do fluxo emigratório, expressa na saída de 31 mil e 753 portugueses que escolheram o estrangeiro para alcançar uma vida melhor, menos 17% do que no ano transato, período em que saíram 38 mil e 272.

Paralelamente, as estatísticas oficiais apontam que no mesmo ano registou-se um aumento do fluxo imigratório, contabilizado na entrada de 36 mil e 639 cidadãos estrangeiros que adotaram o território nacional como uma nova etapa das suas vidas, mais 18% do que no ano anterior, época em que entraram 43 mil e 353.   

A informação veiculada pelo INE revela deste modo que ao longo dos últimos anos, após recuperação de uma das mais graves crises do país e consequente incremento do desempenho socioeconómico, foi possível no ano de 2017 obter um saldo migratório positivo, invertendo a trajetória de declínio verificada desde o início da década de 2010.

Numa fase da vida coletiva nacional em que se auguram colossais desafios demográficos, ainda no mês passado o Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat), através do documento Ageing Europe 2019, indica que dentro de três décadas cerca de metade da população portuguesa terá 55 anos ou mais, a manutenção deste saldo migratório positivo constitui uma condição “sine qua non” para a sustentabilidade do país.

No entanto, os dados recentes do INE revelam que manutenção deste salto migratório positivo está longe de ser um dado adquirido, porque além do mesmo ter que ser complementado com o crescimento da taxa de natalidade, que continua a ser das mais baixas da União Europeia, a emigração qualificada continua a engrossar o fluxo migratório nacional.

Nesse sentido, enquanto o país continuar envolto num inverno demográfico, e a assistir à “fuga de cérebros”, ou seja, à saída de emigrantes altamente qualificados, nas palavras abalizadas do Professor catedrático da Universidade de Coimbra, Rui Machado Gomes, “um dos fenómenos mais controversos da sociedade portuguesa contemporânea”, e não sendo o mesmo compensado pela entrada de pessoas com qualificações equivalentes, a competitividade, o progresso, a sustentabilidade e o futuro de Portugal continuarão perturbantes.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Daniel Bastos
Author: Daniel BastosEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 783  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia

Foto: Paulo Pego
Foto: Paulo Pego