segunda-feira, 28 novembro 2022

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:287 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:261 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:139 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:513 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:206 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:251 Opinião

CRIANÇA PRESA NO PENICO

Nov. 13, 2022 Hits:463 Crónicas

Duas tardes em Coja

Nov. 13, 2022 Hits:796 Apontamentos

Esta vida de hipster

Nov. 08, 2022 Hits:127 Crónicas

Ladroagem Eleitoral

Nov. 06, 2022 Hits:337 Opinião

O “Auto Suicídio” de…

Nov. 04, 2022 Hits:342 Opinião

A ARTE E A VIDA SOCIAL





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A relação da Arte com a Vida Social desempenhou sempre um papel muito importante, em todas as literaturas de determinado grau de desenvolvimento. Há quem diga que não existe o homem para as coisas, mas sim as coisas para o homem; não é a sociedade que serve o artista, mas o artista que serve a sociedade.

A arte deve contribuir para o desenvolvimento da consciência humana, para o melhoramento da ordem social. Outros, porém, negam tais conceções e consideram a arte um fim em si mesmo, e utilizá-la para alcançar outras finalidades, significa desvalorizar a dignidade da obra artística.

O problema, porém, tem de ser analisado à luz do que foi, e do que é a arte. Com efeito, a obra de arte nem sempre foi interpretada da mesma forma, variando com os tempos, com as culturas e com as religiões. De facto: desde a arte com caráter utilitário; até à arte com um sentido simbólico, é possível descrever uma gama de interpretações que nos surpreende.

O ideal de beleza, predominante, em determinado tempo, em certa sociedade, ou em designada classe de uma sociedade, tem a sua raiz: já nas condições biológicas do desenvolvimento do género humano, que criam particularidades de raças; já nas condições históricas do nascimento da existência desta sociedade ou classe.

E, precisamente, por isto, acontece ser sempre o ideal de beleza muito rico em determinado conteúdo, que não é inteiramente absoluto, isto é, incondicional. Quem se torna adorador da “Beleza Pura”, não se autonomiza por isso das condições biológicas, históricas e sociais, que determinam o seu gosto estético, mas fecha os olhos, mais ou menos conscientemente, a tais condições. É impossível dissociar a arte da vida social, porque aquela é condição para que esta se desenrole em harmonia e equilíbrio.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Author: Diamantino BártoloEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 624  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

News Fotografia