segunda-feira, 15 agosto 2022

(ENGIE)nharia jurídica

Ago. 13, 2022 Hits:32 Opinião

A IGREJA QUE NÃO ACREDIT…

Ago. 08, 2022 Hits:382 Opinião

Consequências do Dever

Ago. 08, 2022 Hits:80 Crónicas

A Sombra e as Árvores

Ago. 07, 2022 Hits:270 Crónicas

Pai rico, Pai pobre

Ago. 04, 2022 Hits:230 Crónicas

DA LEITURA

Ago. 02, 2022 Hits:81 Crónicas

Enquanto o pau vai e vem

Jul. 31, 2022 Hits:103 Crónicas

É PROIBIDO NASCER EM AGO…

Jul. 29, 2022 Hits:673 Opinião

OE2021: Pandemia custou 7.744 ME ao Estado em 2021- DGO





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A resposta à pandemia custou 7.743,7 milhões de euros (ME) ao Estado em 2021, devido ao aumento de 7.437,3 ME de despesa e à perda de 306,4 ME de receita, divulgou hoje a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

"Até ao final de dezembro, a execução das medidas adotadas no âmbito do combate e da prevenção da covid-19, bem como as que têm por objetivo repor a normalidade, conduziu a uma redução da receita de 306,4 milhões de euros e a um aumento da despesa total em 7.437,3 milhões de euros", indica a Síntese da Execução Orçamental hoje divulgada pela DGO.

Do lado da receita, a DGO assinala o impacto estimado associado à isenção de pagamento da Taxa Social Única (TSU), estimado em 221 ME, e a suspensão dos pagamentos por conta do Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC), de 50,4 ME.

Relativamente à despesa, os apoios às empresas e ao emprego atingiram 4.027,6 ME, destacando-se o programa Apoiar (1.085,8 ME), os apoios ao setor dos transportes (1.139,5 ME), o apoio extraordinário à retoma progressiva da atividade (547,8 ME) e o incentivo à normalização (409,7 milhões de euros).

A DGO refere ainda as medidas por parte do setor da saúde, que atingiram 1.474,9 ME, "nomeadamente com recursos humanos, equipamentos de proteção individual, medicamentos, vacinas e testes", assim como as medidas de apoio ao rendimento das famílias (998,4 ME), com destaque para os apoios extraordinários ao rendimento dos trabalhadores (488,4 ME).

"Na ausência das despesas associadas às medidas no âmbito da covid-19, a despesa efetiva das Administrações Públicas teria crescido 3,0% face ao ano anterior (em vez de +5,2%)", refere a Síntese.

Até novembro, a pandemia tinha custado 6.751 ME ao Estado, devido a mais 6.232,4 ME de despesa e a menos 518,6 ME de receita.

Entre janeiro e dezembro de 2020, a resposta à pandemia custou 4.591,1 ME, devido à perda de 1.426,1 ME de receita e ao aumento de 3.165 ME na despesa.

Os dados divulgados hoje indicam que o Estado fechou o ano de 2021 com um défice em contabilidade pública de 8.794 milhões de euros, uma melhoria de 2.862 milhões de euros face a 2020.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1187 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia