Luso.eu | Jornal Notícias das Comunidades Portuguesas - Legislativas: PS acusa PSD de "irresponsabilidade e insensibilidade" para com emigrantes
sexta-feira, 01 março 2024

PROMESSAS ELEITORAIS

Mar. 01, 2024 Hits:109 Opinião

CANDIDATOS DO PS NA FEIRA…

Fev. 29, 2024 Hits:413 Opinião

Não cedamos à facilidad…

Fev. 29, 2024 Hits:343 Opinião

Quero ser uma árvore

Fev. 24, 2024 Hits:664 Crónicas

Morre Navalny mas não a …

Fev. 24, 2024 Hits:204 Opinião

COMPETÊNCIA CÍVICA

Fev. 15, 2024 Hits:382 Crónicas

UNIVERSITAS

Fev. 14, 2024 Hits:294 Crónicas

CIDADÃO DECISOR

Fev. 10, 2024 Hits:258 Crónicas

Desconsideração políti…

Fev. 09, 2024 Hits:640 Opinião

Haja diferenças!

Fev. 07, 2024 Hits:326 Opinião

O Homem: um ser limitado

Fev. 06, 2024 Hits:305 Crónicas

O BANCO NOVO

Fev. 06, 2024 Hits:436 Crónicas

Entre a Esperança e a In…

Fev. 04, 2024 Hits:250 Opinião

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Fev. 04, 2024 Hits:370 Crónicas

Legislativas: PS acusa PSD de "irresponsabilidade e insensibilidade" para com emigrantes





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor!


O PS acusou hoje o PSD de "irresponsabilidade e insensibilidade" para com os emigrantes, pelo protesto que resultou na anulação de 157 mil votos nas eleições legislativas, e apelou aos eleitores para "participarem maciçamente" na repetição do ato eleitoral.

Em comunicado, os candidatos do PS pelo círculo eleitoral da Europa questionaram por que motivo o PSD “não impugnou igualmente” o apuramento dos votos no círculo fora da Europa, à semelhança do que aconteceu com a Europa.

“Porquê a duplicidade de posições? Só o PSD poderá responder e explicar por que razão se comprometeu e depois rompeu o entendimento entre partidos. Seja qual for a resposta, há duplicidade no comportamento, irresponsabilidade nos atos e insensibilidade quanto ao respeito dos votos dos portugueses eleitores no estrangeiro”, criticaram.

O PS referiu que “nenhum outro partido apresentou semelhante protesto, pelo contrário, todos os outros manifestaram a sua vontade de que os votos fossem todos validados”.

Os socialistas consideraram que era “perfeitamente evitável esta crise que adia Portugal e causa desânimo nas comunidades, se o PSD não tivesse medo do voto das comunidades e respeitasse a vontade livre de participação dos eleitores e o exercício ao direito fundamental de votar”.

E defenderam que o PSD deve “pedir desculpa a todos os eleitores que terão de voltar a pronunciar-se, que manifestaram a sua vontade de participar na escolha dos seus representantes, tal como fez o líder do PS e primeiro-ministro, António Costa, principalmente aos que enviaram o seu voto sem cópia do documento de identificação, seja porque não tinham condições para a obter ou porque simplesmente não a quiseram enviar, eventualmente convictos que a lei não o permite”.

“Não foi o PS que apresentou protesto para anulação de votos. Foi o PSD. Então porque não assume a culpa e pede desculpa?”, salientaram os candidatos a deputados, advogando que o partido “desde o primeiro momento defendeu o respeito por todos os votos, consciente da elevadíssima percentagem de votos que foram igualmente anulados devido aos protestos também apresentados pelo PSD nas eleições legislativas de 2019”.

E citaram os esclarecimentos da Comissão Nacional de Eleições, indicando que, mesmo que os votos por via postal não venham acompanhados de fotocópia do documento de identificação do eleitor, se os boletins “forem considerados válidos pela mesa e ninguém reclamar, válidos ficam”.

“Foi o que aconteceu, e bem, no círculo fora da Europa”, defenderam.

Os candidatos socialistas, entre os quais o cabeça-de-lista, Paulo Pisco, apelaram ainda aos eleitores portugueses na Europa para “participarem maciçamente” na repetição do ato eleitoral, “enviando o seu voto até dia 12 de março, fazendo um esforço para incluir a cópia do cartão do cidadão”.

Apontando que se vive “um novo ciclo no processo eleitoral”, o PS salientou que “está em causa recuperar a confiança das comunidades e afirmar por elas o respeito e consideração que lhes é devido, bem como a afirmação do direito ao voto como direito fundamental garantido pela Constituição da República”.

Mais de 80% dos votos dos emigrantes do círculo da Europa nas legislativas de 30 de janeiro foram considerados nulos, após protestos do PSD por várias mesas terem validado votos que não vinham acompanhados de cópia da identificação do eleitor, como exige a lei.

Esta situação levou alguns partidos a recorrerem ao Tribunal Constitucional, que declarou a nulidade das eleições legislativas nestas assembleias e determinou a sua repetição, que terá lugar nos dias 12 e 13 de março e os votos por via postal serão considerados se recebidos até 23.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos



Luso.eu | Jornal Notícias das Comunidades
Partilhe o nosso conteúdo!

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

A nossa newsletter

Jornal das Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 586  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

Top News Embaixada

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia

 
 
0
Partilhas
0
Partilhas