domingo, 14 agosto 2022

(ENGIE)nharia jurídica

Ago. 13, 2022 Hits:29 Opinião

A IGREJA QUE NÃO ACREDIT…

Ago. 08, 2022 Hits:378 Opinião

Consequências do Dever

Ago. 08, 2022 Hits:78 Crónicas

A Sombra e as Árvores

Ago. 07, 2022 Hits:268 Crónicas

Pai rico, Pai pobre

Ago. 04, 2022 Hits:227 Crónicas

DA LEITURA

Ago. 02, 2022 Hits:81 Crónicas

Enquanto o pau vai e vem

Jul. 31, 2022 Hits:99 Crónicas

É PROIBIDO NASCER EM AGO…

Jul. 29, 2022 Hits:673 Opinião

Legislativas: PR rejeita irresponsabilidade na dissolução da AR com agravamento da pandemia





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O Presidente da República rejeitou hoje qualquer irresponsabilidade em avançar com a dissolução do parlamento face ao agravamento da pandemia de covid-19 nas últimas semanas, considerando que o que era conhecido na altura e agora “não é muito diferente”.

Interpelado pelos jornalistas, enquanto fazia um balanço da visita de dois dias a Luanda (Angola), sobre se houve alguma irresponsabilidade em avançar com a dissolução da Assembleia da República e a marcação de eleições legislativas antecipadas, numa altura em que há uma variante do SARS-CoV-2 potencialmente mais contagiosa a aparecer em vários países, o chefe de Estado considerou que houve, pelo contrário, “uma responsabilidade” em resolver a crise política.

O processo “tem corrido bem até agora” e foi como tinha de ser feito, sustentou, na sequência da rejeição da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), considerando que aí é que começou a crise política.

O agravamento da pandemia, até agora, não obrigou a repensar ou adaptar essa decisão.

“Aquilo que se sabia na altura sobre a pandemia não é muito diferente daquilo que se sabe hoje. Sabia-se que podia ter uma evolução - ainda se acredita que é uma evolução controlada pela vacinação. Sabia-se que se ia avançar para a terceira dose em toda a população, não se sabia que podia ser com as crianças, que é uma questão que ainda está para decisão”, elaborou.

A dissolução do parlamento “foi aquilo que deveria ter sido feito, foi compreendida pelos portugueses e também pelos meios políticos”.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1392 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia