quinta-feira, 01 dezembro 2022

Dá-se com as duas mãos

Nov. 29, 2022 Hits:749 Crónicas

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:755 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:281 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:157 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:531 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:224 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:273 Opinião

CRIANÇA PRESA NO PENICO

Nov. 13, 2022 Hits:480 Crónicas

Duas tardes em Coja

Nov. 13, 2022 Hits:824 Apontamentos

Esta vida de hipster

Nov. 08, 2022 Hits:147 Crónicas

Ladroagem Eleitoral

Nov. 06, 2022 Hits:357 Opinião

Legislativas: CNE afirma que a sua posição sobre cópia de documento de identificação foi “truncada”





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A Comissão Nacional de Eleições (CNE) considerou hoje que alguns partidos “truncaram” o seu parecer de 2019, interpretando-o incorretamente como uma dispensa de cópia de documento de identificação para se aceitar o voto por via postal.

Esta posição foi transmitida pelos membros da CNE João Almeida e João Tiago Machado, em conferência de imprensa, na Assembleia da República.

“Os votos sem serem acompanhados por documento de identificação devem ser considerados nulos. Da posição transmitida pela CNE em setembro de 2019, só retira a conclusão de que não é precisa a cópia de documento de identificação quem não ler nem o princípio nem o fim do parecer. Só pode entender isso quem ler o bocadinho que lhe aproveita”, respondeu João Almeida.

Na sequência desta resposta, os membros da CNE foram confrontados pelos jornalistas com a ata em que representantes dos partidos decidiram para este ato eleitoral que se aceitassem votos por via postal sem estarem acompanhados por documento de identificação.

João Tiago Machado respondeu: “Não estivemos presentes nessa reunião, não tomámos conhecimento dessa reunião e não tivemos nada a ver com isso”.

“Usaram uma informação truncada nossa. A resposta era para efeitos de descarga de votos e não para a contabilização de votos como votos válidos. Como dia a lei – e isso é claro -, quando essa condição da cópia do cartão do cidadão não está reunida, o voto é nulo”, frisou o membro da CNE.

João Tiago Machado disse depois que a resposta sobre o que levou a generalidade dos partidos a seguir essa interpretação não cabe à CNE.

“Esse acordo entre partidos não nos diz respeito”, completou.

Neste ponto, João Almeida salientou que uma das missões da da CNE é “assegurar a igualdade de tratamento dos cidadãos face a todos os atos” no processo eleitoral.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 600  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia