sexta-feira, 09 dezembro 2022

MUNDIAL DE FUTEBOL – CO…

Dez. 08, 2022 Hits:530 Opinião

Parado no tempo

Dez. 07, 2022 Hits:374 Crónicas

Tempo

Dez. 04, 2022 Hits:177 Opinião

Diaversário

Dez. 04, 2022 Hits:311 Crónicas

A Justiça

Dez. 03, 2022 Hits:406 Crónicas

Dá-se com as duas mãos

Nov. 29, 2022 Hits:921 Crónicas

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:800 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:295 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:173 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:552 Crónicas

Legislativas: Chega não ia cortar nas pensões, mas se o fizer corta primeiro nos políticos





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O líder do Chega, que ainda há dois dias defendia aumento de pensões como condição para viabilizar um Governo, afirmou na quinta-feira à noite que caso haja cortes nas reformas, os políticos serão os primeiros a serem cortados.

“Connosco podem ter uma certeza: Que não haverá cortes de salários, sem que o primeiro salário a ser cortado seja o nosso e o de todos os políticos. Não haverá cortes de pensões, sem que os políticos sejam os primeiros a dar o exemplo em Portugal. Não haverá cortes nos funcionários públicos, sem que os políticos sejam os primeiros a serem cortados. E não haverá cortes na classe média, sem que sejamos nós os primeiros a pagar por esses cortes e por esses impostos”, afirmou André Ventura, no discurso de encerramento de um jantar-comício em Chaves, distrito de Vila Real.

Já no jantar-comício de Aveiro, na terça-feira, o líder do Chega afirmava que o aumento das pensões era uma condição para viabilizar um Governo de direita, e em Viseu, na quarta-feira, teceu duras críticas ao Governo de Pedro Passos Coelho por ter cortado nas pensões e aumentado impostos.

Em Chaves, numa quinta de casamentos e batizados, na quinta-feira à noite, Ventura salientou que o Chega tem que “mostrar aos portugueses” que está disposto “ao sacrifício”, mesmo quando lhes toca.

“Agora é que temos que liderar pelo exemplo”, referiu.

Ventura apontou também para a falta de desinvestimento no interior, defendeu novamente a redução de cargos políticos na administração local e central, falou da necessidade de se descentralizar e prometeu um Ministério das Comunidades, para apoiar os emigrantes portugueses, num discurso em tom inflamado.

“Nós não nos podemos moderar”, asseverou André Ventura.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 659  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia