Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
domingo, 28 novembro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Eurodeputados adotam Estratégia para as Florestas que contradiz metas da Biodiversidade



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

Bruxelas, 8 de outubro de 2020 – O Parlamento Europeu falha em adotar uma verdadeira Estratégia da União Europeia (UE) para as Florestas ao votar contra a ambiciosa proposta de resolução alternativa da Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar (ENVI), preferindo, assim, manter o relatório inicial da Comissão da Agricultura e Desenvolvimento Rural (AGRI).

A proposta de resolução alternativa da ENVI foi apresentada pelos Verdes/Aliança Livre Europeia (Verdes/ALE) por considerarem a linguagem do relatório da AGRI fraca e incapaz de proteger as florestas, apresentando aspetos que contradizem a Estratégia da Biodiversidade para 2030, proposta pela Comissão Europeia em maio.

“O relatório da AGRI, para além de não estar em linha com a Estratégia de Biodiversidade, e, em partes, prejudicá-la ativamente, ironicamente, contraria ainda a posição recentemente adotada pelo próprio Parlamento no relatório sobre a ação da UE para proteger e restaurar as florestas a nível mundial’”, defende o eurodeputado Francisco Guerreiro, dos Verdes/ALE. 

Com a aprovação do relatório da AGRI, a posição final do Parlamento defende que as florestas geridas para fins comerciais são as únicas florestas de valor, e as que melhor protegem o clima e a saúde florestal. Para além disto, incentiva ainda mais o uso de biomassa florestal para a produção de energia na UE, retratando-a como positiva para o combate às alterações climáticas.

“Entre outras coisas, o relatório da Comissão AGRI pouco salvaguarda as florestas e está excessivamente focado na dita Gestão Sustentável das Florestas (SFM), um conceito não vinculativo desenvolvido por silvicultores e que não protege a biodiversidade,” afirma Francisco Guerreio. 

A resolução da ENVI exigia, entre outros, que a proteção do clima e da biodiversidade fossem objetivos centrais interligados à nova estratégia florestal. Reconhecia, igualmente, toda a gama de funções ecológicas que as florestas representam e apelava à proteção destas, bem como ao florestamento e reflorestamento com espécies de árvores adequadas à localização e ao meio ambiente.

No entanto, a proposta alternativa não reuniu consenso e foi rejeitada por 429 votos. O relatório de AGRI foi assim aprovado com 462 votos a favor, 176 contra e 59 abstenções e contou com o voto contra do grupo parlamentar dos Verdes/ALE.

Pelo menos 43% da superfície da UE está coberta com florestas e outros terrenos arborizados. O setor emprega cerca de 500 mil pessoas, diretamente, e 2,6 milhões, indiretamente. Cerca de 1/3 das florestas da UE são propriedade privada.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 341 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

News Fotografia