segunda-feira, 26 setembro 2022

OS TEMPOS DAS CIDADES

Set. 19, 2022 Hits:98 Crónicas

Quem vai pagar impostos?

Set. 19, 2022 Hits:87 Opinião

Os robots não devem paga…

Set. 18, 2022 Hits:117 Opinião

Paternalismo

Set. 14, 2022 Hits:82 Crónicas

A BICICLETA DOS ANJOS

Set. 12, 2022 Hits:65 Crónicas

UM CIMBALINO SE FAZ FAVOR

Set. 10, 2022 Hits:336 Crónicas

O aroma do café no ar

Set. 05, 2022 Hits:79 Crónicas

Rota dos Registos Civis

Set. 04, 2022 Hits:219 Opinião

Espanto e Vergonha

Ago. 28, 2022 Hits:129 Opinião

Ex-militares do Exército com 2 anos de pena suspensa por agressão em Vila Real





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O Tribunal de Vila Real condenou hoje três ex-militares do Exército a dois anos de pena suspensa por um crime de ofensa à integridade física qualificada contra um homem ocorrido em julho de 2017.

Os três arguidos foram ainda condenados ao pagamento de uma indemnização à vítima, de um valor total de 10 mil euros, durante o mesmo período de dois anos.

O caso ocorreu na madrugada do dia 29 de junho de 2017 e foi denunciado pelo agredido, hoje com 27 anos, que foi assistido no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro e apresentou queixa na esquadra da PSP de Vila Real.

O julgamento teve início a 07 de dezembro, em tribunal singular, e a leitura da sentença decorreu hoje.

Os três arguidos eram, na altura, militares no Regimento de Infantaria 13 (RI13), em Vila Real, e estavam acusados pelo Ministério Público (MP) de praticarem, em coautoria material e na forma consumada, um crime de ofensa à integridade física qualificada.

A juíza deu como provados os factos constantes na acusação, ou seja, que os arguidos fazendo-se acompanhar de um grupo não determinado nem identificado de amigos, se encontravam num bar, localizado no centro da cidade de Vila Real, onde encetaram uma discussão com o assistente.

Já na rua, os três arguidos bateram no assistente, desferindo-lhe murros na cara e pontapearam-no quando estava caído no chão, tendo a escaramuça acabado com a chegada da polícia.

Depois de analisar a prova pericial e testemunhal, produzida em tribunal, bem como a versão apresentada pelo assistente, “a única compatível com as lesões”, o tribunal deu como provados os factos.

Os arguidos não falaram durante o julgamento.

O tribunal condenou os três arguidos a dois anos de pena suspensa e ao pagamento da indemnização ao agredido.

No final, a mãe da vítima disse que o seu filho, atualmente emigrante em Suíça, “ainda hoje tem marcas da agressão”, físicas e psicológicas, e queixou-se que o “processo foi muito demorado”.

Um dos advogados de defesa disse que vai recorrer da sentença, enquanto um outro se recusou a responder aos jornalistas.

A escaramuça aconteceu no Pioledo, no centro da cidade de Vila Real, onde se concentram vários estabelecimentos de diversão noturna, se reúnem muitos jovens e são recorrentes as queixas dos moradores devido principalmente ao barulho provocado pelos consumidores que permanecem no exterior dos bares mesmo após o encerramento.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Tony Da Silva
Author: Tony Da SilvaEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1134 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

News Fotografia