quarta-feira, 07 dezembro 2022

Tempo

Dez. 04, 2022 Hits:161 Opinião

Diaversário

Dez. 04, 2022 Hits:295 Crónicas

A Justiça

Dez. 03, 2022 Hits:403 Crónicas

Dá-se com as duas mãos

Nov. 29, 2022 Hits:920 Crónicas

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:784 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:292 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:168 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:545 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:237 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:286 Opinião

Ucrânia: Consumidores de gás natural vão sentir aumento “inevitável” do preço – ministro





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O ministro do Ambiente disse hoje que quem consome diretamente gás natural vai sentir aumento “inevitável” dos preços, devido à situação na Ucrânia, que levou a Alemanha a suspender a certificação do Nord Stream 2, para transporte de gás russo.

“Quem usa diretamente gás natural, vai sentir esse aumento porque é inevitável, Portugal não fixa esse preço, é o preço de uma ‘commodity’ [matéria-prima], que é fixado a nível mundial”, disse aos jornalistas o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Matos Fernandes, à margem da conferência final do Projeto E+C – Economia Mais Circular promovida pela CIP – Confederação Empresarial de Portugal, no Teatro Thalia, em Lisboa.

Ainda que cerca de 35% da eletricidade em Portugal seja gerada a partir de gás natural, o governante lembrou que se trata de um aumento de preço na origem que não significa um aumento para os consumidores.

“Quem está no mercado regulado não vai sentir esse aumento, mas sobretudo os produtores industriais, apesar do esforço que o Governo fez para que quase não tivesse havido aumentos, reconhecidamente têm contratos mais curtos e, portanto, esse risco [de aumento dos preços] existe”, acrescentou o ministro do Ambiente.

Para o governante, uma da forma de se proteger a independência energética é a aposta nas energias renováveis, lembrando que, em 2021, Portugal conseguiu mais 700 megawatts de energias renováveis, “mais do que aquilo que a central do Pego produzia”.

Na terça-feira, a Alemanha tomou medidas para interromper o processo de certificação do gasoduto Nord Stream 2, para distribuição de gás natural russo na Europa.

O executivo alemão está a tomar medidas para responder às ações de Moscovo na Ucrânia e, conforme explicou o chanceler alemão, Olaf Scholz, aos jornalistas “sem aquela certificação, o Nord Stream 2 não pode ser colocado em funcionamento".

A União Europeia (UE) depende fortemente das importações de gás natural, que é o segundo combustível mais utilizado nos 27 Estados-membros, a seguir ao petróleo e derivados, sendo a Rússia o maior exportador.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 679  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia