Emprego público aumenta 2,2% no 1.º trimestre e atinge máximo desde 2011





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O número de trabalhadores da administração pública aumentou 2,2% no primeiro trimestre de 2022 face ao trimestre homólogo de 2021, situando-se em 741.288 postos de trabalho, o valor mais elevado desde 2011, segundo dados hoje divulgados.

“A 31 de março de 2022, o emprego no setor das administrações públicas situou-se em 741.288 postos de trabalho”, refere a Síntese Estatística do Emprego Público, hoje divulgada pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), assinalando que, “no 1.º trimestre de 2022, o emprego aumentou 2,2% em termos homólogos e 1,0% face ao trimestre anterior”.

Comparando com o trimestre homólogo de 2021, em que o número de funcionários públicos totalizava 725.467, havia no final de março de 2022 mais 15.821 funcionários públicos. Já em relação ao final de 2021, quando o universo total era de 733.896 há agora mais 7.392.

Por comparação com 31 de dezembro de 2011 (ano em que estes dados estatísticos do emprego público começaram a ser trimestralmente divulgados), os 741.288 postos de trabalho agora contabilizados assinalam um aumento de 13.587 postos de trabalho (+1,9%).

Em termos homólogos, o aumento de 2,2% no emprego público resultou essencialmente do crescimento na administração central (+2,1%, correspondente a mais 11.365 postos de trabalho) e na administração local (+2,0%, correspondente a mais 2.558 postos de trabalho), segundo o SIEP.

Os dados agora divulgados sobre o primeiro trimestre deste ano indicam que, ao nível da administração central, o aumento de emprego verificou-se essencialmente nas Entidades Públicas Empresariais (EPE) do Serviço Nacional de Saúde (SNS), onde houve um acréscimo de 3.771 face ao trimestre homólogo do ano passado.

Seguem-se, ao nível da administração central, os estabelecimentos de educação e ensino básico e secundário (com mais 3.394 empregos) e as Unidades Orgânicas de Ensino e Investigação (mais 1.986).

“Entre as carreiras que mais contribuíram para o aumento homólogo do emprego na administração central salientam-se as carreiras de técnico superior (+2.117), de assistente operacional (+2.062), de enfermeiro (+1.616), de Educadores de Infância e Docentes do Ensino Básico e Secundário (+1.309) e de médico (+1.185)”, refere a Síntese Estatística do Emprego Público.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!