Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
quinta-feira, 21 outubro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Produtores de vinho contra proibição de venda de bebidas alcoólicas



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

A ANCEVE- Associação Nacional dos Comerciantes e Exportadores de Vinho e Bebidas Espirituosas, uma associação empresarial do sector dos vinhos, que inclui mais de uma centena de empresas nacionais, contesta a proibição de venda de bebidas alcoólicas após as 20h00.

Nos últimos meses, o governo tem aplicado medidas com o intuito de reduzir o número de contágio de Covid-19 pelo país. Uma dessas medidas, que começou em Setembro de 2020, foi a proibição de venda de bebidas alcoólicas após as 20h00, nos estabelecimentos de comércio a retalho, incluindo super e hipermercados. 

Esta medida tem vindo a causar um enorme prejuízo ao sector vitivinicola, que tem vindo ultimamente a impulsionar a economia nacional, contribuindo para as cokmunidades rurais e ordenamento territorial. Além do seu papel fundamental na exportação do nome português para os corredores de vinhos nos mercados internacionais.  

Os produtores mais pequenos de vinhos, que estruturam o grosso do tecido empresarial vitivinícola, "dependem em absoluto das vendas para os restaurantes e as garrafeiras especializadas e sentem-se desde Março abandonados e "sem chão", como refere Paulo Amorim, presidente desta associação em comunicado à luso.eu. 

No mesmo comunicado pode ler-se "Os produtores médios e grandes, que também vendem para a distribuição moderna, tinham conseguido, até Setembro, equilibrar a facturação com os supermercados e hipermercados (embora sacrificando substancialmente as suas margens), mas a proibição de venda de bebidas alcoólicas após as 20h00 constituíu uma machadada brutal na sua actividade."

Um sector que vive muito baseado na exportação, a qual não deixou de lado, apesar das dificuldades acrescidas pela pandemia, os produtores de vinho, dependem muito também do mercado nacional, o que faz com que estas proibições, afectem drasticamente a sua capacidade financeira, em especial para com os seus trabalhadores, Estado e fornecedores. 

Para além disto, a Associação refere ainda que tal medida, prejudica os consumidores que apenas podem efetuar as suas compras em período pós laboral. Sendo vista por isto como uma medida discirminatória. A ANCEVE defende que esta medida seja revista o quanto antes, por no quadro actual não ter qualquer sentido. 

"É uma medida que afecta muito negativamente um produto nacional como o vinho, que é parte integrante da vida e cultura portuguesas."


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 274 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
30
31