Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Praias Covid19: Lotação nas praias do concelho de Caminha já foi definida

ID:N°/ Texto: 5435
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 Devido à pandemia por Covid19 o acesso às praias está condicionado a um número de regras, entre elas a sua lotação. No concelho de Caminha os números já foram defenidos e assim a praia de Moledo é permitido um número máximo de 4.500 utentes, Vila Praia de Âncora comportará um limite máximo de 2.700, Foz do Minho 1.600 e Forte do Cão/Gelfa com 500.

No entanto, para além da lotação máxima outras normas definem que deverá existir um distanciamento físico de 1,5 metros entre diferentes grupos no areal. Haverá um máximo de 5 utentes por toldo, colmo ou barraca. A distância mínima entre estes locais deve ser de três metros.

No que respeita a actividades desportivas como raquetes, disco, futebol, não vão ser permitidas este ano por gerar movimentação. Atividades náuticas, aulas de surf e desportos similares são permitidos. Os semáforos também serão uma presença em que verde corresponde a ocupação baixa, amarelo a ocupação elevada e vermelho de ocupação máxima. Será disponibilizada uma aplicação, chamada Infopraia, que indicará a sinalética correspondente de cada areal.

Mas, quanto à fiscalização por parte de nadadores-salvadores a Federação Portuguesa de Nadadores Salvadores (Fepons) alega a falta de 1300 nadadores-salvadores para chegar aos 4500 que são necessários todos os anos.

A época balnear no Minho abre a 27 de Junho e termina a 30 de Setembro

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

Isabel Varela
Jornalista / colaboradora
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

José Manuel Fernandes alerta para urgência no reforço da prevenção contra fogos https://t.co/n0E8WRa0MT
Covid-19: Portugueses no Luxemburgo preparam-se para férias na terra mesmo com receios https://t.co/Vv9786ZLVL
José Andrade acredita que "ser açoriano é resistir às adversidades da natureza e às contrariedades do centralismo” https://t.co/HVbA9Gz4ua
Follow Jornal das Comunidades on Twitter