Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

É hora de Reagir

ID:N°/ Texto: 5569
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O mundo está a atravessar a pior fase de que há memória, atrás de uma crise sanitária que está longe de estar resolvida, vêm as consequências da mesma - violência doméstica entre géneros, desemprego, fome…

Todos os dias lemos e ouvimos que a Covid -19 tem empurrado milhares de pessoas, por este mundo fora para o desemprego, aumentando o número de sem abrigo, lágrimas porque os progenitores não tem que dar de comer aos filhos, males que nos deixam “sem chão” e extramente angustiados.

Também, diariamente recebo dezenas de pedidos de ajuda e sempre que posso, faço-o. Contudo, e enquanto Presidente da “Foundation Nova Era Jean Pina” e empresário não posso deixar duas ou três considerações face a este flagelo.

A melhor maneira, creio, para minimizar e ou eliminar a pobreza é ajudar as pessoas a acreditarem em si, nas suas capacidades, confiarem que podem fazer as coisas por si próprias e para si mesmas. O velho ditado” ensina a pescar, não dês o peixe” tem nesta altura ainda mais significado.

Cada manhã é uma nova oportunidade para procurar trabalho, para fazer algo, mesmo que pela primeira vez.  São tempos de mudança, de novos paradigmas, deixo aqui o apelo, acreditem em si mesmas, não baixem os braços, insistam em voltar à vida ativa em vez de se deixarem abalar por mais um dia em que nada pode ser mudado. Pode, sim! Se quisermos e tivermos força, podemos mudar, sim!

A Fundação com a Sua vasta rede de contactos logrará ajudar com algumas soluções, a arranjar trabalho, a terem um teto digno para que não durmam na rua, por exemplo- uma das missões da Fundação a curto prazo passa por aqui- trabalho e alojamento. Mas realço novamente, é imperativo regressar à vida ativa, à vida social para nos sentirmos mais uteis na sociedade, como seres humanos, como seres sociáveis que somos. Uma mão amiga está deste lado para ajudar, mas cada um por si tem que acreditar primeiro.

Enquanto empresário, não nego que tive um impacto negativo e significativo nas receitas das minhas empresas-contratos cancelados, maior morosidade nos pagamentos, mas não me acomodei… “arregacei as mangas” e procurei novos clientes, novas oportunidades de trabalho. Foi difícil, está a ser difícil? Está! mas também aqui relato, na primeira pessoa, tenho novos clientes, admiti mais colaboradores e sou grato por cada conquista diária, conquistas que temos conseguido porque eu e a minha equipa não nos acomodámos, levantamo-nos antes de o sol nascer e regressamos a casa muito para além da hora normal do jantar . 

Esta é uma singela reflexão de quem a dor do outro me deixa angustiado. Mas agora é hora de reagir, coloquem o vosso melhor em tudo e com certeza o caminho será mais fácil de percorrer.

Por fim deixo um desafio, hoje, se passarmos por um “sem abrigo”, em vez de continuarmos o nosso caminho em passos largos, paremos e ofereçamos um sorriso, um bom dia, um vamos lá… deixemos de pensar somente na nossa existência.

Amanhã é outro dia, o sol voltará a brilhar, essencialmente para quem se atreve a acreditar e acima de tudo, produzir!

“Todas as manhãs começam com uma nova página na nossa história. Hoje faça da mesma memorável “.

Que esta Pandemia faça de nós melhores pessoas - o momento é de crise, mas temos que reagir para que prossigamos em frente, mais fortes e mais capazes.

Saúde e um abraço para todos.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Covid-19: EUA com 532 mortos e mais de 48 mil casos nas últimas 24 horas https://t.co/DaeQiJCOFf
Mais de 900 vinhos marcam presença no concurso Vinduero-Vindouro https://t.co/qRdAKfD8eh
A pandemia de Covid-19 aumentou o risco de burnout parental em Portugal? https://t.co/E1JIRZrZ8K
Follow Jornal das Comunidades on Twitter