Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Pinto da Costa com conversa marcada com Sérgio Conceição para falar da renovação

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) - O presidente do FC Porto admitiu hoje que é de sua vontade que Sérgio Conceição se mantenha como treinador da equipa principal de futebol dos 'dragões' e afirmou ter "uma conversa marcada" para breve.

"Vamos deixar passar este período e temos combinado um diálogo. A minha vontade é que o Sérgio Conceição continue. Vamos deixar passar este período, mas depois da tempestade vem a bonança. Em três anos ganhamos dois campeonatos e é justo que ele continue no FC Porto com tempos mais fáceis. Desejo que continue no FC Porto", disse.

Em entrevista ao Porto Canal, e em dia do 127.° aniversário do FC Porto, o dirigente voltou a comparar Sérgio Conceição a José Maria Pedroto.

"Não há pessoas iguais. Quando comparo Sérgio Conceição com José Maria Pedroto, naturalmente que tenho de considerar que é elogioso para o Sérgio Conceição. É aquilo que tenho constatado por aquilo que convivi com com dois. Tenho pelo Sérgio Conceição uma amizade fraterna. Não digo que o vejo como filho, porque os pais são insubstituíveis, e ainda hoje ele falou deles com emoção, mas tenho uma grande admiração por ele. É de um rigor extremo, mas sempre com racionalidade, interesse e colocando sempre os interesses do FC Porto acima de tudo. Tal como José Maria Pedroto, é capaz de entrar em qualquer guerra e sem medo. São diferentes, mas têm muito de comum no seu trabalho, dedicação, paixão e vontade de estar sempre do lado do FC Porto e de defender os interesses do FC Porto", disse.

Pinto da Costa voltou a frisar que não entende a ausência de público nos estádios.

"Acho inadmissível o que está a acontecer e há falta de sensibilidade da parte de quem manda no Desporto e de quem está na DGS e não sabe o que é o desporto. Daí ser ridículo aceitar que os camarotes têm que estar vazios. Nem que fosse uma pessoa em cada camarote de 100 lugares. Nas touradas o espaço está cheio, nem lugar de intervalo deixam. Embicaram com o futebol. Em tempos gabaram-se do milagre em Portugal, agora o milagre desapareceu. E a culpa é do futebol? Se milagre se transformou num pesadelo ou pecado mortal, se calhar é pelas touradas, cinemas abertos, concertos em recintos fechados ou humoristas em espetáculos... E o futebol é que paga?", questionou.  

O dirigete prosseguiu: "Não há incongruência, há incompetência. O Secretário de Estado do Desporto vem dizer que o problema vai ser resolvido, mas depois vem uma senhora (Graça Freitas) que diz o contrário. A epidemia não aumentou por causa do futebol. Só em Portugal é que não há público no estádios. Até nos Açores já há adeptos nos estádios e não se vê aumentar o número de casos de infetados. Abriram restaurantes, cinemas, touradas e espetáculos com milhares de pessoas, mas só o futebol é que não."

O presidente portista acredita que "este Governo vai ficar ligado à falência do futebol e do desporto".

"Os clubes continuam a pagar os impostos, mas não têm receitas. Sem bilheteira e sem os lugares anuais, temos um prejuízo de 27. Se não pagarmos vêm logo as multas e as ameaças", lembrou ainda.

Pinto da Costa falou ainda sobre o mercado.

"Saíram o Fábio Silva e o Vítor Ferreira. Agora, não cedemos nenhum jogador daquele núcleo de 16/18 jogadores que o treinador considerava indispensáveis. Não podemos é evitar que um clube chegue aqui e pague a cláusula de rescisão", esclareceu o dirigente.  

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

Redacção Luso
Jornal das Comunidades na Bélgica
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Últimos Tweets

Virgens Ofendidas https://t.co/YnvoxhzZNh
Covid-19: França atinge recorde diário de novos casos com 45.422 contágios https://t.co/jkRCgEoIKr
Despiste com dois feridos graves obriga a corte da EN201 em Valença https://t.co/N67Ag40QDT
Follow Jornal das Comunidades on Twitter