Colocámos cookies no seu computador para melhorar a sua experiência no website. Ao utilizar o site, está a concordar com o seu uso. Ler mais

Altice/Media Capital: ERC pede mais cinco dias úteis à Autoridade da Concorrência

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Lisboa, 10 out (Lusa) – A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), que hoje voltou a reunir-se para discutir a proposta de compra da Media Capital pela Altice, pediu mais cinco dias úteis à Autoridade da Concorrência para se pronunciar sobre o negócio.

Numa informação enviada à agência Lusa, fonte oficial da ERC informa que “solicitou à Autoridade da Concorrência um prolongamento do prazo por mais cinco dias úteis”, sem explicar o porquê do adiamento do prazo.

Na segunda-feira, a mesma fonte indicou que o Conselho Regulador da ERC se iria voltar a reunir hoje para discutir este assunto, depois de a proposta de compra da dona da TVI pela proprietária da PT Portugal/Meo ter sido analisada nesse dia.

A fonte acrescentou que “o Conselho Regulador considerou adequado remarcar nova reunião”.

A data indicativa para a ERC dar parecer sobre a operação era hoje, mas agora espera-se que a decisão do regulador se conheça na próxima terça-feira.

O jornal Público indica, na sua edição de hoje, que o adiamento da decisão se deve a dúvidas sobre poder vinculativo do parecer.

No final de agosto, contactada pela Lusa, fonte oficial da Autoridade da Concorrência indicou que, após o parecer da ERC, existem dois cenários, dependendo se o regulador dos media se pronunciar de forma negativa ou favorável ao negócio.

Caso o parecer seja negativo, a operação não se poderá realizar.

No entanto, se o parecer não for negativo, a Autoridade da Concorrência continuará a sua instrução e ao fim de 30 dias úteis (contados da data da notificação e descontadas as interrupções que suspendem o prazo legal) poderá pronunciar-se de três formas: que a operação não se encontra abrangida pelo procedimento de controlo de concentrações; não se opor à concentração; ou dar início a uma investigação aprofundada.

Neste último caso, a Autoridade da Concorrência dispõe de um prazo máximo de 90 dias úteis para adotar uma decisão final.

Em 11 de agosto, o Conselho de Administração da Media Capital, que detém a TVI, considerou que a operação "é oportuna e que as respetivas condições são adequadas".

A Altice anunciou em 14 de julho, dois anos depois de ter comprado a PT Portugal (Meo), que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para a compra da Media Capital, dona da TVI, entre outros meios, numa operação avaliada em 440 milhões de euros.

Em 19 de setembro, a Autoridade Nacional de Comunicações – Anacom divulgou o seu parecer sobre a operação de concentração, considerando que a compra da Media Capital pela Altice não deverá ter lugar "nos termos em que foi proposta, pois "é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva" em vários mercados.

O parecer da Anacom não é vinculativo.

Pub


Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
15
16
17
18
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Carlos César anuncia recandidatura à liderança parlamentar do PS https://t.co/ZRWb9zInSS
Ministra da Administração Interna diz que pediu para sair logo após Pedrógão https://t.co/9zU8hsMd6z
Ministra da Administração Interna apresentou demissão, Costa aceitou https://t.co/x6DRsJtLtP
Follow Luso.be - Bélgica on Twitter