Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Covid-19: Turismo europeu critica atrasos de Bruxelas na gestão de restrições às viagens

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O novo presidente da European Travel Commission, Luís Araújo, critica os atrasos da Comissão Europeia na coordenação das restrições às viagens na União Europeia (UE)(Lusa) – O novo presidente da European Travel Commission, Luís Araújo, critica os atrasos da Comissão Europeia na coordenação das restrições às viagens na União Europeia (UE) devido à covid-19, instando à adoção de regras comuns “o mais rapidamente possível”.

“Tivemos um momento [de tomada de posição por parte da Comissão Europeia] em junho e outro em 04 de setembro, [mas] enquanto isso muitos países foram perdendo a sua época mais importante, entre eles Portugal e todos os países da bacia mediterrânica, que contam muito com esta coordenação”, declara o novo líder desta entidade europeia de turismo em entrevista à agência Lusa.

Questionado pela Lusa se o executivo comunitário tardou a coordenar a circulação na UE em altura de pandemia e de pós-confinamento, em que muitos países adotaram medidas restritivas às viagens, Luís Araújo diz: “Se tivemos uma declaração em junho e outra em setembro…”.

Para o também presidente do Turismo de Portugal, que nos próximos quatro anos vai acumular os dois cargos, “a única forma” de assegurar a sobrevivência do setor europeu “é haver atitudes e procedimentos comuns e coordenados ao nível da UE”, razão pela qual “é tão importante a questão da coordenação” no espaço comunitário.

“Qualquer medida que não fosse transparente, clara e, principalmente, que não fosse coordenada entre todos [na UE] era uma medida que só tinha um efeito, o de destruir a confiança dos consumidores”, vinca o responsável.

Segundo Luís Araújo, as duas tomadas de posição pela Comissão Europeia foram, ainda assim, “momentos importantes”.

Numa primeira fase, em junho passado, a instituição emitiu recomendações para a gradual retoma das viagens na UE, após o confinamento, tendo em vista o período de verão e querendo evitar discriminação com base na nacionalidade.

Já no início de setembro, o executivo comunitário adotou uma proposta para garantir que quaisquer medidas decididas pelos Estados-membros que restrinjam a livre circulação devido à covid-19 sejam coordenadas e comunicadas claramente ao nível da UE.

Enquanto novo presidente da European Travel Commission, Luís Araújo exige “a implementação o mais rápida possível destas recomendações pelo Conselho e pelos Estados-membros”.

Em concreto, o setor do turismo a nível europeu quer “quatro coisas”, de acordo com o responsável: que “sejam tomadas decisões sanitárias de acordo com determinados critérios comuns como o número de casos novos e a percentagem de testes”; a implementação do “famoso sistema de semáforos com regras claras”, consoante a gravidade da situação epidemiológica nas várias regiões; a adoção de “procedimentos comuns” para a imposição de quarentena ou de testes; e ainda a disponibilização de “informação transparente e atualizada”.

“Cada noite que passa é uma noite perdida para o turismo”, alerta Luís Araújo.

“Acreditamos que […] vamos conseguir retomar. Estamos muito confinantes nisto, até com foco na sustentabilidade do setor e por aí fora, mas temos de ter medidas e iniciativas muito rápidas”, conclui, na entrevista à Lusa.

O setor do turismo tem sido um dos mais afetados pelas restrições relacionadas com a pandemia, com perdas acentuadas, que pesam ainda mais em países mais dependentes desta área de negócio, como Portugal.

Durante o verão, e face a um aumento do número de infeções, o país chegou a estar na ‘lista vermelha’ de muitos outros Estados-membros da UE, obrigando quem viajasse de Portugal a fazer quarentena ou teste.

Luís Araújo é presidente do Turismo de Portugal desde 2016 e, esta semana, passou também a assumir a presidência da European Travel Commission.

Criada em 1948, a European Travel Commission junta 33 organizações nacionais de turismo de 31 países europeus, tendo em vista promover a Europa como destino turístico, nomeadamente através da marca Visit Europe.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Últimos Tweets

LUS 9645 https://t.co/42gKxAY65z via @portal_luso
De congratulação pelo 40.º aniversário da criação do Conselho das Comunidades Portuguesas https://t.co/OfpOhXTOMb
Número de desempregados inscritos sobe 34,5% em agosto https://t.co/xto2uaAj3K
Follow Jornal das Comunidades on Twitter