Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Covid-19: Transavia anuncia novas rotas de Montpellier para Faro e Porto

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) – A presidente executiva da Transavia, Nathalie Stubler, anunciou hoje a abertura de novas rotas aéreas de Montpellier, França, para Faro e Porto, a partir do início de julho e até ao final de agosto.

A responsável da companhia aérea fez o anúncio da abertura de novas rotas para Portugal, que considerou um “mercado-chave” para a empresa, durante uma cerimónia no Aeroporto de Lisboa, para assinalar a chegada dos primeiros passageiros vindos de Nantes, depois da reabertura das rotas da Transavia.

Assim, entre o início de julho e o final de agosto, a companhia vai operar dois voos semanais para Faro, dois para o Porto e três para Lisboa.

Até 26 de junho, Portugal será o único mercado para onde a Transavia irá voar.

Na mesma ocasião, estiveram também presentes a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, o presidente executivo da Vinci Concessions, Nicolas Notebaert, a embaixadora de França em Portugal, Florence Mangin, e o presidente executivo da ANA Aeroportos, Thierry Ligonnière.

A cerimónia serviu também para oficializar a atribuição do selo ‘Clean & Safe’, do Turismo de Portugal, aos aeroportos nacionais.

De acordo com Luís Araújo, o selo transmite “confiança” aos turistas que pretendem visitar o país.

Por sua vez, a secretária de Estado do Turismo sublinhou que, apesar do turismo ter parado, os últimos meses foram de preparação para a retoma.

“É bem verdade que o turismo parou, mas nunca deixámos de trabalhar para e pelo nosso turismo. […] Preparámo-nos durante estes meses para receber todos os que nos procuram”, disse a governante.

Em 05 de junho, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou a reativação de rotas aéreas nos aeroportos portugueses no dia 15 de junho.

As medidas para combater a pandemia paralisaram setores inteiros da economia mundial e levaram o Fundo monetário Internacional (FMI) a fazer previsões sem precedentes nos seus quase 75 anos: a economia mundial poderá cair 3% em 2020, arrastada por uma contração de 5,9% nos Estados Unidos, de 7,5% na zona euro e de 5,2% no Japão.

 Em Portugal, o Governo prevê que a economia recue 6,9% em 2020 e que cresça 4,3% em 2021.

A taxa de desemprego deverá subir para 9,6% este ano, e recuar para 8,7% em 2021.

Em consequência da forte recessão, o défice orçamental deverá chegar aos 6,3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 e a dívida pública aos 134,4%.

 

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

José Manuel Fernandes alerta para urgência no reforço da prevenção contra fogos https://t.co/n0E8WRa0MT
Covid-19: Portugueses no Luxemburgo preparam-se para férias na terra mesmo com receios https://t.co/Vv9786ZLVL
José Andrade acredita que "ser açoriano é resistir às adversidades da natureza e às contrariedades do centralismo” https://t.co/HVbA9Gz4ua
Follow Jornal das Comunidades on Twitter