Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Deputados do PS questionam Assembleia da República sobre cancelamentos da TAP

ID:N°/ Texto: 5623
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Os deputados Paulo Pisco, Carlos Pereira, Lara Martinho e Paulo Porto, todos do Partido Socialista, pediram esclarecimentos ao Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, no passado dia 24 de julho, sobre os cancelamentos de voos da TAP que estão a afetar as comunidades portuguesas residentes no estrangeiro.

Os deputados portugueses sublinharam que têm existido “muitas queixas sobre a anulação e cancelamento de voos, havendo mesmo pessoas que ficam com as férias prejudicadas ou estragadas, tendo por vezes até de assumir custos inesperados. Em diversos casos, os seus voos são anulados ou os planos de voo alterados sem qualquer respeito pelos direitos dos passageiros, o que está a acontecer com muitas pessoas que já tinham feitas as suas reservas de viagens há mais tempo”.

Muitos emigrantes “têm exprimido a sua enorme frustração por não terem condições para voar na TAP, seja pela redução do número de voos e de opções, seja pela política de preços altos praticada em algumas rotas, seja ainda pela instabilidade causada pelos cancelamentos e anulação de voos”, referem os parlamentares socialistas.

No documento enviado à Assembleia da República, os deputados questionaram sobre a razão do cancelamento de voos oriundos de aeroportos europeus, particularmente de França, Luxemburgo, Suíça e Alemanha, por parte da companhia aérea portuguesa.

Entre várias questões, os deputados perguntaram ainda sobre a perspetiva de reinício das ligações para a Venezuela e a possibilidade de haver uma linha direta para a África do Sul, indo assim ao encontro de expetativas das comunidades portuguesas residentes nesses países.

De acordo com a informação divulgada pelo Observatório da Emigração em novembro de 2019, as Nações Unidas estimam que exista cerca de 2.6 milhões de portugueses emigrados a residir no estrageiro. Os valores mostram que, destes, 57% vivem na Europa, 40% no continente americano e 9% em África. Os restantes residem na Oceânia e na Ásia.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

Rúben Castro
Jornalista da luso.eu CC46 A
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

 Entre em contacto : Rúben Castro Perfil: Info

Nascido em 1990, no Funchal, estudou Ciências da Cultura na Universidade da Madeira e Jornalismo na FCSH/Universidade Nova de Lisboa. Neste momento vive em Bruxelas, onde colabora com vários órgãos de comunicação social. É um dos 55 Embaixadores da Juventude da ONE na Bélgica, uma ONG focada no combate à pobreza extrema e às desigualdades.

Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Lisboa a Lagos e Ceuta 600 anos depois https://t.co/haCCQyQx8h
Covid-19: Autarcas da AMLisboa podem alterar horário de funcionamento do comércio - Governo https://t.co/rAyTdbQfMR
Covid-19: Portugal com mais seis mortes e 325 novos casos nas últimas 24 horas https://t.co/6raV0XLVbL
Follow Jornal das Comunidades on Twitter