Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Vinte e cinco 'bloggers' portugueses reúnem em livro "Viagens de uma Vida"

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) – Vinte e cinco ‘bloggers’ de viagem portugueses contam as “Viagens de uma Vida” num livro a lançar na terça-feira e que, numa altura em que a pandemia condiciona as deslocações ao estrangeiro, promete levar os leitores aos cinco continentes.

“Este livro leva-nos a 25 países, nos cinco continentes, e proporciona-nos a oportunidade de, neste verão, enquanto saboreamos os encantos de Portugal, idealizarmos e sonharmos - sem confinamento - com as nossas próximas viagens”, resume o presidente da Associação de Bloggers de Viagem Portugueses (ABVP), Filipe Morato Gomes, citado num comunicado.

Num momento em que os ‘bloggers da ABVP andam a explorar o país na iniciativa #euficoemportugal, a obra será lançada oficialmente na terça-feira na vila de Castro Laboreiro, no concelho de Melgaço, num evento a transmitir ‘online’, pelas 13:00, no Facebook da associação, em https://www.facebook.com/abvppt/.

O mote é "Venha visitar Portugal... mas leve na bagagem o resto do Mundo!".

Segundo a ABVP, o livro relata “as viagens mais marcantes das vidas” dos 25 ‘bloggers’, numa “seleção de duas dezenas e meia de olhares - distintos e variados - sobre destinos espalhados pelos quatro cantos do mundo e que desafiam a plenitude dos sentidos”.

“Vai da alegria colorida do Festival Holi, em Varanasi, Índia, à angustiante luta pela sobrevivência no campo de refugiados Rohingya em Cox’s Bazar, no Bangladesh. Passa pela sensação de liberdade e pequenez que emana da mítica Ruta 40, no Sul da Argentina, como pelas paisagens inóspitas da Gronelândia e de Madagáscar”, avança.

Para Filipe Morato Gomes, autor do blogue Alma de Viajante, “viajar é uma inigualável forma de crescimento e enriquecimento pessoal, despertando um saudável espírito de aventura e reforçando o imenso prazer da partilha”.

“E é com essa certeza que a ABVP, que a 01 de março celebrou o seu primeiro ano de existência, decidiu partilhar esses valores, através da publicação de um livro que pretende celebrar a viagem e tudo o que esta pode fazer por nós e pelos outros”, acrescenta.

Para o líder da associação, as páginas do livro, complementadas com um encarte de fotografias ilustrativas, “são um hino ao ato de viajar e à vida” e “a celebração da diversidade cultural e da salutar comunhão entre povos”.

E desafia: “Tal como nós, que o leitor se sinta inspirado para partir, explorar e ‘descobrir-se’ ”.

Citado no comunicado, o fundador do blogue ‘BornFreee” e coautor da obra, Rui Barbosa Batista, afirma: “Acredito que, através do olhar que vertemos em palavras, os portugueses vão fazer uma belíssima viagem em torno deste nosso apaixonante planeta, percebendo a riqueza das suas diferenças culturais e sociais”.

“O livro fala de lugares, mas também de medos que são superados, de desconfortos que são tornados desafios, de liberdades incondicionais que só o longe e o atirar-nos no desconhecido nos permitem, assim nos consigamos soltar de nós mesmos e das nossas amarras físicas e psicológicas”, afirma.

Manuel Andrade, da Idioteque, que edita a obra, refere por sua vez que “o livro narra viagens e experiências inesquecíveis da vida de cada um dos viajantes”, sendo, “no seu todo, inspiradora e mundividente, transportando em si uma multiplicidade de lugares, sentimentos, odores, tons e aventuras que agarram desde o primeiro parágrafo”.

Segundo adianta a ABVP, o segundo livro da série, a lançar em 2021, será inteiramente dedicado a Portugal, como epílogo da iniciativa #euficoemportugal.

A ABVP é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover o desenvolvimento profissional dos ‘bloggers’ que atuam no segmento de turismo, ao mesmo tempo que estimula a criação de relações éticas e transparentes com os leitores e com eventuais parceiros ligados ao turismo.

Conta, atualmente, com 55 dos maiores ‘bloggers’ de viagem portugueses como associados, propondo-se “valorizar o [seu] trabalho aos olhos do mercado e entidades externas; contribuir para capacitar os associados com ferramentas e conhecimentos para que possam ser cada vez mais competentes em cada uma das múltiplas vertentes do seu trabalho quotidiano; e autorregular, estabelecendo um código de ética a seguir por todos os associados, em nome da transparência para com os leitores e eventuais parceiros”.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

28.500 professores colocados na primeira quinzena de agosto https://t.co/2tdDUYZfXl
Avante!: PCP reduz lotação a um terço, para cerca de 33 mil pessoas https://t.co/P3LiHU3Hk8
Português morto à facada em Mons https://t.co/mZyPJUx8dG
Follow Jornal das Comunidades on Twitter