Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
domingo, 05 dezembro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Sondagem

Os vacinados devem ter prioridade no acesso aos cuidados de saúde em relação aos não vacinados?
  • Votes: (0%)
  • Votes: (0%)
  • Votes: (0%)
Total Votes:
First Vote:
Last Vote:

Covid-19: Bombeiros retidos na ilha do Corvo sem autorização para regressar a casa



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

(Lusa) – O responsável da Autoridade de Saúde Regional dos Açores admitiu hoje que alguns bombeiros estão retidos na ilha do Corvo há mais de duas semanas à espera de autorização para regressarem a casa, devido à covid-19, alegando que os casos serão reapreciados.

“Não se confirmando nenhuma cadeia de transmissão na ilha [Graciosa], é claro que agora podemos pensar de uma outra forma e ter aqui um outro tipo de informação que nos ajude a decidir sobre as autorizações de deslocação. Nesse sentido, iremos reapreciar esses casos, a par de outros”, afirmou, em Angra do Heroísmo, no ponto de situação diário sobre a evolução do surto de covid-19 na região.

Em causa estão cinco bombeiros das ilhas Graciosa e São Jorge, que se deslocaram à ilha do Corvo para uma prestação de serviços no aeródromo, que deveria ter demorado duas semanas, mas já ultrapassou os 40 dias, porque ainda não obtiveram autorização para viajar.

Desde o dia 19 de março que as ligações aéreas e marítimas inter-ilhas nos Açores estão reduzidas a transporte de carga e ao transporte excecional de passageiros, com autorização da Autoridade de Saúde Regional.

Questionado pelos jornalistas sobre este caso, Tiago Lopes justificou a demora com a necessidade de garantir que existiam condições de segurança para que a viagem se efetuasse.

“Tínhamos alguns casos positivos registados ainda na região e estivemos a avaliar se esses casos positivos, nomeadamente na ilha Graciosa, iriam originar alguma cadeia de transmissão”, afirmou.

O responsável da Autoridade de Saúde Regional admitiu rever o caso destes bombeiros, mas salientou que continuará a existir “alguma contenção nas deslocações inter-ilhas”, sobretudo para ilhas sem casos positivos de covid-19 (Corvo, Flores e Santa Maria).

Desde o início do surto foram confirmados 138 casos da covid-19 nos Açores, 104 dos quais atualmente ativos, tendo ocorrido 25 recuperações (14 em São Miguel, seis na Terceira, quatro em São Jorge e uma no Pico) e nove mortes (em São Miguel).

A ilha de São Miguel é a que registou mais casos (100), seguindo-se Terceira (11), Pico (10), São Jorge (sete), Faial (cinco) e Graciosa (cinco).

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia da covid-19 já provocou mais de 200 mil mortos e infetou mais de 2,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 736 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 854 pessoas das 22.797 confirmadas como infetadas, e há 1.228 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 286 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS