Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
domingo, 28 novembro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

O FANTASMA DAS ELEIÇÕES ANTECIPADAS A AGULHA E O DEDAL



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

A aprovação do Orçamento de Estado está em banho Maria. Nada de novo, é assim todos os anos.

Acontece que a ameaça da não aprovação do OE e consequentes eleições antecipadas aparecem como a arma de arremesso de sempre para as negociações entre os partidos.

Uma treta.
Todos sabemos que o Orçamento vai ser aprovado.
Umas cedências à esquerda, uns apelos ao sentido de Estado ao PSD e a coisa lá fará o seu caminho.

Estas negociações para o Orçamento de Estado, como em outras anteriores, para não variar, fazem-me lembrar aquela canção da Beatriz Costa no filme "A Canção de Lisboa" de 1933 com Vasco Santana e António Silva.

"Aí chega chega a tua agulha.
Afasta afasta o meu dedal"!

Já sabemos como acaba!

É certo que o Presidente Marcelo também dará a sua ajuda porque eleições antecipadas não lhe interessam.
Tudo em nome dessa coisa divina chamada "estabilidade".

Como se a "estabilidade" que vivemos fosse uma coisa preciosa. Os impostos estáveis, os preços dos combustíveis estáveis, dois milhões de pobres estáveis...

Marcelo, convenhamos, tem um dilema. 
É que o Partido Socialista não tem oposição. Infelizmente, porque uma boa oposição também faz uma boa governação.

Portanto, existindo eleições, Costa sucederia a Costa.

Talvez o PSD crescesse se Rio desse lugar a Rangel. 
Com Rangel o Chega poderia diminuir. O PCP entrava nos cuidados paliativos, o BE ia perder deputados, o CDS morreria e a IL ficava como está.

Costa seria eleito sem maioria, com menos margem para negociações o próximo  governo estava condenado a acabar rápido. Uma boa notícia para Pedro Nuno Santos que está sedento de ocupar o lugar do "amigo" Costa.
Ninguém ficaria a ganhar porque Rangel, mesmo fazendo crescer o PSD, quer ser Primeiro Ministro.

Mas, em abstracto, tudo ficaria mais ou menos  na mesma.

Enfim.
A agulha vai acabar por chegar ao dedal.
O problema é que o país não precisa desta podre estabilidade.
Precisa sim, de uma revolução!

Luso.eu - Jornal das comunidades
Damião Cunha Velho
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 251 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

News Fotografia