Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
sexta-feira, 15 outubro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Covid-19: Mais de três quartos dos óbitos nos dois primeiros meses do ano atribuídos à pandemia



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

(Lusa) – Mais de três quartos dos óbitos registados em Portugal entre 28 de dezembro e o final de fevereiro estiveram relacionados com a covid-19 e 18% com o frio extremo, revela o último relatório do estado de emergência hoje divulgado.

“A análise preliminar da mortalidade atribuível à epidemia de covid-19 e às temperaturas extremas estimou uma fração da mortalidade atribuível à covid-19 de cerca de 76% e ao frio extremo de cerca de 18%” entre a última semana do ano de 2020 e o final do mês de fevereiro, precisa o documento do Governo hoje entregue na Assembleia da República.

O relatório referente ao estado de emergência de 15 de fevereiro a 01 de março destaca o excesso de mortalidade registada no país, sobretudo entre 28 de dezembro e 21 de fevereiro, que se estima de 11.985 óbitos em excesso.

“O excesso de mortalidade que se observou desde a semana 44/2020 [26 de outubro] totalizou um excesso de 15.779 óbitos. Este é o período de excesso de mortalidade mais longo (17 semanas) desde 1980 e com uma intensidade extraordinária, em especial durante o mês de janeiro”, lê-se no relatório realizado pela Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência, coordenada pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

O anterior relatório do estado de emergência do período entre 31 de janeiro a 14 de fevereiro também já dava conta do excesso de óbitos em Portugal.

Sobre os óbitos por covid-19, o documento refere que a maioria dos mortos (87,3%) tinha idade igual ou superior a 70 anos e a taxa de letalidade situou-se, até 01 de março, nos 2%.

Foi na região de Lisboa e Vale do Tejo onde se registou o maior número de mortos por covid-19 desde o início da pandemia (41,9%), seguindo-se o Norte (31,9%) e o Centro (17,8%).

O relatório, que vai ser discutido na quinta-feira na Assembleia da República, destaca a “forte tendência de decréscimo” de casos diários de covid-19, bem como de “uma diminuição expressiva” do número de casos em internamento hospitalar, nomeadamente em unidades de cuidados intensivos no período de 15 de fevereiro a 01 de março.

Em Portugal, morreram 16.784 pessoas dos 817.778 casos de infeção confirmados desde o início da pandemia, em março de 2020, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 208 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
30
31

News Fotografia

Ad Bottom