Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
domingo, 24 outubro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Ana Rita Bessa questiona Governo sobre plano de aulas a partir de casa para alunos de risco



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

Numa pergunta dirigida ao Ministro da Educação, a deputada do CDS Ana Rita Bessa quer explicações sobre o plano de aulas a partir de casa para alunos de risco.

Ana Rita Bessa questiona que processo administrativo terão os encarregados de educação que concretizar junto da direção da escola, qual será a forma de acesso às aulas: síncrona mediante vídeo da aula ou assíncrona mediante gravação, como será feito o acompanhamento: apenas com trabalho autónomo e “tutoria” via plataforma, como serão assegurados os casos de necessidade de apoio de ação social quando não haja computador, como serão assegurados os casos destes alunos com necessidades educativas especiais e como será feita a avaliação.

Numa notícia “exclusiva” publicada a 22 de agosto, baseada em fonte do Ministério da Educação, o jornal Correio da Manhã deu conta de que, no próximo ano letivo, os alunos de risco terão aulas a partir de casa, mediante apresentação de documento que prove quadro clínico que os torne vulneráveis, mas que os diretores das escolas dizem não ter sido informados pelo Governo sobre este regime excecional.

Entre estes alunos considerados de risco para a Covid-19, e alegadamente dispensados do regime presencial no próximo ano letivo, encontram-se diabéticos, hipertensos, doentes cardiovasculares, com doença respiratória crónica, doentes oncológicos e com doença renal. 

A situação não é nova, já que, e tal como se refere na notícia, os alunos que por qualquer motivo não podem frequentar a escola, sempre tiveram educação garantida em planos definidos de acordo com as famílias. 

O que altera esta situação é a Covid-19, sendo que, sem informação concreta por parte da tutela, a Associação Nacional de Diretores afirma desconhecer pormenores sobre restrições impostas pela pandemia. 

O CDS concorda que, mediante atestado, os alunos considerados de risco possam não ter aulas presenciais. Mas entende, no entanto, que a três semanas do início das aulas, conviria que os diretores das escolas estivessem completamente esclarecidos sobre o que e como vai ser feito.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 691 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
30
31

News Fotografia