Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
quarta-feira, 27 janeiro 2021

Projeto literário “Estórias do meu país inventado”



O projeto literário “Estórias do meu país inventado” é um conjunto de cinco estórias infanto-juvenis que serão materializadas em cinco livros ilustrados.

As estórias têm a sua génese nas ilhas de Cabo Verde e nas suas realidades socioculturais, transfigurando uma prática insular num arquétipo dos comportamentos humanos, onde a realidade gera o concreto e o abstrato, criando a conexão entre a vida e os sonhos.

Uma vez que a literatura infantil não é só para crianças, as ”Estórias do meu país inventado” são contos infanto-juvenis escritos também a pensar nos adultos. Assim, os textos são narrativas conceptuais e poéticas, que, com as ilustrações, fornecem ao adulto as ferramentas necessárias para contar às crianças as estórias, de acordo com as suas emoções e sensibilidade.

Fazem parte da equipa do projeto:

Autor: João Fonseca

Artistas Plásticos: Rabelarte – Sabino; Josefa; Fico; Tchecho; Steve

Contador de estórias: Valdir Brito

Imagem e comunicação: Inês Alvarinhas

 Características do projeto:

 “Estórias do meu país inventado” é um projeto que pretende explorar um conjunto variado de atividades artísticas e culturais.

Assim, a ilustração das estórias é da autoria dos artistas da Comunidade dos Rabelados de Espinho Branco, Rabelarte, e obedece à lógica de cinco estórias, cinco artistas. Estes artistas não são escolarizados, não dominam a língua portuguesa e repartem o seu quotidiano entre a agricultura, a pecuária e a construção civil, pelo que o trabalho da ilustração é fortemente marcado pela sua intervenção social e económica na comunidade.

A equipa do projeto pretende fazer da contação de estórias um momento de formação e intervenção educativa, visitando escolas do ensino pré-escolar e básico. A contação das estórias está ao encargo do autor do projeto e do ator Valdir Brito, que, após o lançamento do livro “As tartarugas também choram”, fizeram um périplo pelas escolas da cidade da Praia e da ilha de Santiago.

O trabalho dos artistas plásticos deu origem a um conjunto de exposições e de pinturas murais na ilha de Santiago.

Em suma, o projeto “Estórias do meu país inventado” pretende aproximar as pessoas da literatura, da pintura e da contação de estórias. É um processo simples de humanizar as artes e as pessoas.

Comunidade dos Rabelados de Espinho Branco

 A origem dos Rabelados de Espinho Branco remonta ao ano de 1940 quando estes se insurgiram contra as novas práticas e rituais que a Igreja Católica introduziu em Cabo Verde. Os Rabelados rejeitaram as novas alterações e opuseram-se ao poder colonial e às regras vigentes.

À medida que aumentava a resistência e a repressão, o refúgio para as montanhas e para lugares de difícil acesso, provocou um isolamento que se perpetuou no tempo. Assim nasceu uma vida sem nada e no meio do nada.

Como dizia o falecido chefe da comunidade Agostinho Gomes, renegados é a expressão da nossa história: “Somos três vezes renegados. Primeiro fomos tirados à força do continente e não podemos voltar mais com as nossas mestiçagens. Desta mestiçagem somos filhos ilegítimos.

E desta ilegitimidade o inimigo conseguiu dividir-nos com a descriminação entre irmãos.”

Historicamente os Rabelados permanecem como um símbolo de resistência e espírito de independência.

Aldeia RabelArte

A Aldeia RabelArte foi construída ao longo dos 20 anos de convivência da artista plástica Misá com os Rabelados de Espinho Branco. A artista plástica considera a aldeia um dos mais bonitos quadros vivos da sua convivência com um povo que não trocou a bandeira da independência e que procurou proteger a autonomia da sua fé.

Foi este quadro vivo que levou Misá a realizar infraestruturas comunitárias, a promover a escolarização e a retomar o reenquadramento social da comunidade.

RabelArte é um traço que pinta a sensibilidade de cada artista e é um pitoresco que se agrega na beleza imaginativa de cada um. RabelArte é uma expressão de liberdade e independência no saber fazer. É uma diplomacia criativa onde tudo é história de espírito e libertação.

 Resumo:

O projeto literário Estórias do meu país inventado é um conjunto de cinco estórias infanto-juvenis.

As estórias têm a sua génese nas ilhas de Cabo Verde e nas suas realidades socioculturais.

A ilustração das estórias é da autoria dos artistas da Comunidade dos Rabelados de Espinho Branco, Rabelarte, na ilha de Santiago.

A equipa do projeto pretende fazer da contação de estórias um momento de formação e intervenção educativa, visitando escolas do ensino pré-escolar e básico nas várias ilhas de Cabo Verde.


Luso.eu - Jornal das comunidades
Carina Gaspar
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicionar o seu comentário aqui!

TEMOS NO SITE

Temos 696 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Não existem eventos no calendário
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia

Marina Cruz

Se você viu, o seu cliente também verá!